- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

CARIDADE DO CENTRO ESPÍRITA

                A função primordial do Centro Espírita: ensinar, educar, divulgar, estudar... são caracteres da verdadeira caridade, sem prejuízo daquela a que todos nos envolvemos com mais facilidade que é a caridade material.
                Já é ponto pacífico no movimento espírita o entendimento da importância da divulgação e estudo de nossa Doutrina, como providência prioritária, para bem dotar a criatura humana de recursos que a auxiliem a vencer os desafios existenciais. Também, já é do conhecimento e prática dos espíritos a envolvimento e trabalho com as entidades assistenciais, inspiradas em nome do espiritismo, todas prestadoras de grandes serviços ao Brasil.
                Ao lado, porém, de todo esse trabalho executado ao longo de  décadas de dedicação e boa vontade, trago aos leitores alguns pontos para reflexão, extraídos do magnífico livro “Tramas do Destino”, do Espírito Philomeno de Miranda, psicografia de Divaldo Pereira Franco, relativos ao binômio Centro Espírita e assistência social. Acompanhe comigo (são trechos de diversos capítulos, em transcrições parciais do citado livro).
                São os seguintes pontos:
1.       Pensa-se muito em estômagos a saciar, corpos a cobrir, doenças a curar... Sem menosprezar-lhes a urgência, o Consolador tem por meta principal o Espírito, o ser em sua realidade imortal, donde procedem todas as conjunturas e situações, que se exteriorizam pelo corpo e mediante os contingentes humanos, sociais, terrenos.
2.       A assistência social no Espiritismo é valiosa, no entanto, se previnam os trabalhadores da última hora contra os excessos, a fim de que a exaustão com os labores externos não exaura as forças do entusiasmo nem derrube as fortalezas da fé, ao peso da extenuação e do desencanto nos serviços de fora.
3.       Evangelizar, instruir, guiar, colocando o azeite na lâmpada do coração, para que a claridade do espírito luza na noite do sofrimento, são tarefas urgentes, basilares, na reconstrução do Cristianismo.
4.       A caridade material merece consideração e carinho, dedicação e esforço de todos nós, que devemos conjugar forças para seu cumprimento. Mas a caridade mora, de profundidade, a tarefa do socorro espiritual, não contabilizada, nem difundida é urgentíssima, impondo-nos a necessidade de atenção e zelo.
5.       Que temos feito do valioso patrimônio da fé? Qual a nossa real posição perante a vida? Quais os esforços que envidamos para modificar a situação vingente?
6.       Dependerá do desejo salutar de nossa parte preservar e manter os estados vigentes do relaxamento moral e social, ou modificar as paisagens terrenas, iniciando a empresa em nós mesmos, desde agora...
7.       Estes dias resultam dos dias passados que se caracterizaram por sementeira infeliz.
8.       O futuro, no entanto, encontra-se aqui, a depender de nós todos e de cada um em particular.
9.       Multiplicam-se admiráveis locais de socorro humano, material, iniciados a expensas do Consolador, onde a técnica vem substituindo o amor, com a saturação do serviço pelo excesso e repetição gerando irritação e mal-estar e fazendo que se falhe nas horas do socorro moral, nos atos de paciência e humildade, nos ministérios espirituais da palavra esclarecedora, do passe reconfortador...
10.   Multiplicam-se os métodos de simplificação, ensejando frieza ao ministério e ausência de calor humano, falta de afeição espiritual ao sofredor.
11.   O tempo encolhe e a pressa lhe toma o lugar, não havendo, já, em muitas Entidades, lugar nem tempo para Jesus ou para os obsidiados, os ignorantes do espírito, os impertinentes, tais as preocupações, os compromissos sociais, as campanhas e movimentos pela aquisição argentária.
12.   Sem qualquer restrição à prática da caridade material, inadiável e sempre presente a todo tempo e em qualquer lugar, a excelente caridade moral, a luminosa caridade espiritual, que beneficiam o paciente e edificam o benfeitor, fortalecendo-os e alegrando-os no Senhor, com quem deverão manter fortes vínculos de perfeita comunhão interior, constituem-se em imperativo primordial e insubstituível.
Por isso, mãos à obra no trabalho de estudo e divulgação espírita. Investimento no estudo doutrinário, esforço na divulgação do livro, motivação ao próprio espírita para que se engaje mais e torne-se, também, um multiplicador desta mensagem forte de esperança e renovação do quadro social de nosso sofrido planeta.

Orson Peter Carrara


Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – set/2015
imagem: google

terça-feira, 30 de agosto de 2016

DEUS EM NÓS

Cap. XXV – Item 1
“E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias.”
(Atos, 19: 11)
Quem pode delimitar a extensão das bênçãos que dimanam da Altura?
Por ser sempre de origem inferior, o mal é limitado como todas as manifestações devidas exclusivamente às criaturas; o bem, no entanto, possui caráter divino e, semelhante aos atributos do Pai Excelso, traz em si a qualidade de ser infinito em qualquer direção.
Antes de tudo, vigora a intenção sincera do espírito no ato que procura executar.
Assim, utiliza as próprias possibilidades a serviço da Vontade Divina, oferecendo o coração às realizações com Jesus, e o ilimitado surgir-te-á gradativamente nas faixas da experiência, sob a forma de esperança e consolação, júbilo e paz.
Por mais sombrios te pareçam aos ideais de hoje os dias do passado, não te entregues ao desânimo.
Ergue os sentimentos e conjuga as próprias ações ao novo roteiro entrevisto.
Após a purificação necessária, a água mais poluída da sarjeta se torna límpida e cristalina, como se jamais houvesse experimentado o convívio da impureza.
O presente é perene traço de união entre os resquícios do pretérito e uma vida futura melhor.
Plasma em ti mesmo as forças reconstrutivas de tuas novas resoluções, para que se exprimam em obras de aprimoramento e de amor.
Reconhecendo a nossa origem na Fonte de todas as perfeições, é natural que podemos e precisamos realizar em torno de nós as obras perfeitas a que estamos destinados por nossa própria natureza.
Eis o valor do registro dos Atos dos Apóstolos ao recordar-nos a magnitude das tarefas de Paulo, quando o iniciado de Damasco se dispôs a caminhar, auxiliando e aprendendo, no holocausto das próprias energias à exaltação do bem.
As mãos, tanto quanto o conjunto de instrumentos e possibilidades de que nos servimos na vida comum, esperam passivamente o ensejo de se aplicarem aos desígnios superiores, segundo as nossas deliberações pessoais.
Quando agimos no bem, sentimos a presença de Deus em nós.
Medita no emprego dos teus recursos no campo da fraternidade.
Desterra de teu caminho a barreira do desalento e prossegue confiante, vanguarda a fora.
O solo frutifica sempre quando ajudado pelo cultivador.
Usa, pois, o arado com que o Senhor te enriquece as mãos, trabalhando a leira que te cabe, com firmeza e esperança, na certeza de que a colheita farta coroar-te-á os esforços, cada vez mais, desde que permaneças apoiado no propósito seguro de corresponder ao programa de trabalho que o Pai te reserva, na oficina da luz,
em busca da Alegria Inalterável.
Emmanuel

Fonte: O Espírito da Verdade         
Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira
imagem: google

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

PRÁTICA DO BEM

“Porque assim é a vontade de Deus que, fazendo o bem, tapeis a boca à ignorância dos homens loucos.” — (1ª EPÍSTOLA A PEDRO 2:15)
À medida que o espírito avulta em conhecimento, mais compreende o valor
do tempo e das oportunidades que a vida maior lhe proporciona, reconhecendo, por fim, a imprudência de gastar recursos preciosos em discussões estéreis e caprichosas.
O apóstolo Pedro recomenda seja lembrado que é da vontade de Deus se faça o bem, impondo silêncio à ignorância e à loucura dos homens.
Uma contenda pode perdurar por muitos anos, com graves desastres para as forças em litígio; todavia, basta uma expressão de renúncia para que a concórdia se estabeleça num dia.
No serviço divino, é aconselhável não disputar, a não ser quando o esclarecimento e a energia traduzem caridade. Nesse caminho, a prática do bem é a bússola do ensino.
Antecedendo qualquer disputa, convém dar algo de nós mesmos. Isso é útil e convincente.
O bem mais humilde, é semente sagrada.
Convocado a discutir, Jesus imolou-se.
Por se haver transformado ele próprio em divina luz, dominou-nos a treva da ignorância humana.
Não parlamentou conosco. Ao invés disso, converteu-nos.
Não reclamou compreensão. Entendeu a nossa loucura, localizou-nos a
cegueira e amparou-nos ainda mais.

Fonte: CAMINHO, VERDADE E VIDA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
imagem: google

domingo, 28 de agosto de 2016

PERCEPÇÃO EXTRAFÍSICA II

                És instrumento de intercâmbio psíquico permanente, mesmo sem que te dês conta.
                Emites e captas vibrações, ideias, energias mentais, sem cessar. Conforme direciones o pensamento, sintonizarás com outros da mesma qualidade, produzindo afinidade.
                Vives no mundo vibratório que eleges pelas tuas preferências psíquicas e emocionais, atraindo como repelindo ondas correspondentes. De acordo com o padrão cultivado, és envolvido por idênticas respostas psíquicas.
                Nessa faixa colossal da realidade encontram-se os Espíritos desencarnados, tendo-se em vista a indestrutibilidade do ser, e com eles convives, embora nem sempre os percebas.
                Educando-te interiormente, captar-lhes-ás os pensamentos, mantendo comunicação produtiva, que te capacitará, desde agora, para o futuro, quando te despojares do invólucro material.
                Sem que o saibas, eles interferem na tua existência: ora ajudando-te, quando são bons, ora perturbando-te, quando maus.
                Por serem as almas dos homens que viveram na Terra, preservam os seus valores, às vezes sofrendo e fazendo sofrer demoradamente, por ignorância ou perversidade, acomodação ou inveja.
                Fazendo silêncio interior, moralizando-te, sintonizarás com os espíritos nobres que te guiam e desejam partilhar contigo a sabedoria e o amor que possuem, facilitando-te a marcha ascensional.
                Penetrarás, assim, em regiões de luz imperecível, experimentando emoções transcendentes, que te farão feliz.
                Desenvolvendo a percepção parafísica, deixarás de ser limitado prisioneiro, para estares planando em esferas de vida estuante, consciente dos recursos que Deus confere para a tua plenificação de criatura eterna.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis    
imagem: google    

sábado, 27 de agosto de 2016

PERCEPÇÃO EXTRAFÍSICA I

                O mundo dos sentidos físicos, em face do seu significado e das suas finalidades de por o ser em contato com as manifestações exteriores, afasta-o das percepções profundas, ao mesmo tempo sutis, da vida plena.
                Fixando-o no campo das manifestações objetivas, bloqueia-lhe a capacidade de ampliar os registros paranormais, que lhe abrem as portas para captar o infinito campo das causalidades.
                Mergulhado no oceano das vibrações, da energia, da mente, envolto por ondas e pensamentos incessantes, deve dilatar a capacidade psíquica para inundar-se dos conteúdos extrafísicos que o afetam, mesmo quando lhe são ignorados.
                Possuidor de antenas transceptoras, é instrumento inconsciente de forças complexas que o propelem a atitudes surpreendentes e que poderia modificar, facultando-se agir em consonância com o que lhe apraz, ao invés de ser-lhes instrumento dócil e sem vontade própria.
                Nessa imensa gama de ocorrências parafísicas, destacam-se as faixas da telepatia, da intuição, da clarividência, da clariaudiência, da inspiração, da precognição, da retrocognição, de indiscutíveis bênçãos, ao alcance de todo aquele que se lhe adentre as áreas com elevação e consciência.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google        

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

SOB LIMITES II

                Instado a edificar o bem, onde estejas, não postergues a oportunidade.
                Não conseguindo o desiderato, evita lamentar o esforço despendido.
                A rosa aromatiza o ar; quanto se inebriam, preferem o aroma. Sê tu a rosa.
                Todos bendizem o ar balsâmico da natureza que os refrigera e agrada. Sê tu a brisa abençoada.
                Na ambiência da tranquilidade, todos anelam por fruí-la. Sê tu quem a propicia.
                Melhor ensejar ventura do que gozá-la.
                Recorda Jesus, que tudo investiu em amor, para, mesmo sofrendo, ensinar o homem a ser feliz, não ultrapassando os deveres e submetendo-se, Ele, que é o nosso apoio às limitações do mundo, onde, por enquanto, nos encontramos a crescer e a evoluir.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

SOB LIMITES I

                O dia pujante, marcha para o ocaso.
                O ano, de largos dias, não excede um minuto na ampulheta do tempo.
                A existência física, mesmo duradoura, não logra evitar a morte.
                Tudo, na Terra, são limites.
                Só a vida em plenitude permanece, mergulhando e liberando-se dos envoltórios transitórios de que se reveste, para as transformações e avanços na fatalidade da perfeição que busca e alcançará.
                Nunca te suponhas indene aos acontecimentos dos processos da evolução.
                Embrulha-te nos tecidos da humildade e avança, trabalhando sem cansaço.
                Conserva o otimismo em tuas realizações, mesmo quando os céus da tua experiência estejam nublados por espessas sombras de dificuldades.
                Quem receia agir no bem, entorpece as resistências da realização.
                A prepotência age para a loucura.
                A presunção atua para o desequilíbrio.
                Só o amor, calcado no interesse pelo próximo, logra produzir para a Vida.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

PASSADO

Segue. Não te detenhas
Nas sombras que se foram.

Angústia e depressão?
Não desperdices tempo.

Fita a luz da manhã
Renovando-te a senda.

Faze o bem que puderes,
Prestigiando as horas.

Ama, serve e perdoa.
Foge à tristeza inútil.

O que passou pertence
Aos domínios de Deus.


Fonte: Algo Mais – Chico Xavier/Emmanuel 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

ANIMAIS E ENERGIA

Pergunta - Meu cachorro morreu e eu gostava muito dele. Era como um filho para mim. Perto de casa apareceram três cãezinhos para adoção, mas eu não quis porque estou esperando o meu voltar. Estou errada?
Resposta - Não há o certo e o errado, há o nosso livre-arbítrio. Há o que nos convém e o que não nos convém. Temos toda a liberdade de escolher entre um procedimento e outro.
            Ninguém pode criticá-la por sua escolha, pois quem é que pode atirar a primeira pedra? Tendo em vista que para cada escolha há também uma consequência positiva ou negativa, de acordo com a lei de causa e efeito, é sempre bom pensar nisto. E, para nos ajudar a pensar bem, temos o Evangelho servindo de guia nas decisões.
            Nesse guia encontramos Jesus dizendo: “faça aos outros o que queres que lhe façam” e em outro trecho Ele diz: “ame ao próximo como a si mesmo”. Decisões como as que lhe causam dúvidas, cabem a cada um em situações semelhantes, mas o que você esperaria se fosse um bebê, que tivesse sido abandonado por sua mãe no meio da rua, sem poder se alimentar sozinho e sem condições de sobreviver, porque é ainda uma criança indefesa?
              O que você sentiria se encontrasse alguém que pudesse cuidar de você, mas não o faz porque está esperando por alguém que nem sequer sabe quando voltará ou se voltará?
               E se um destes animais abandonados for quem você estava esperando?
              Lembre-se de que o tempo é outro conceito relativo e o animal poderá reencarnar rapidamente ou não. Talvez já tenha reencarnado! Talvez você o esteja perdendo novamente! Quem sabe? As possibilidades são infinitas.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

ENFIM... DE VOLTA



Depois de mais de um mês esperando a instalação da minha internet. Hoje fui agraciada com essa bênção. A partir de amanhã, retornamos com força total, muita garra e com muita saudade.
Foi o primeiro ano que meu cantinho fez aniversário e não pude comemorar. Senti muita falta, afinal, seis anos de postagens diária, viciam. Me aguardem!