- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sexta-feira, 30 de setembro de 2016

NINGUÉM PODE VER O REINO DE DEUS, SE NÃO NASCER DE NOVO

                Observamos que durante nossa existência atual, imergidos ainda nas paixões materiais, nossos objetivos imediatos são aqueles que dizem respeito à família, às amizades, às relações sociais, ao trabalho e tantos outros que fazem parte de nossas aspirações existenciais atuais e materiais. Quando tudo concorre ao nosso bem-estar e conquistas isso nos garante satisfação física e emocional momentânea.
                Embora muitos de nós mesmos, possuindo esclarecimento doutrinário, muitas vezes já resolvidos materialmente e tendo garantido conquistas que nos deixam satisfeitos, devido nossa posição na vida atual, encontramo-nos, muitas vezes, mortos, pelo desânimo e incapacidade de realizar algo que não é material e sim moral.
                Quantos de nós ainda estamos mortos, pelo orgulho do perdão não realizado, pelo remorso do tempo perdido, pela preguiça da prática no bem por considerarmos que já estamos com uma vida estabilizada e nada mais precisamos realizar! Quando sabemos que a verdadeira vida não é a material e sim a espiritual, o que remete a prática de ações benéficas e transformações morais que devemos realizar... reconhece-se o verdadeiro espírita pelos esforços que faz para mudar suas más inclinações.
                É imprescindível que mesmo com as dificuldades que temos, os problemas que sempre atormentam a alma, os desânimos que nos acometem, tenhamos coragem para nascer de novo.
                Nascer de novo para o perdão, nascer de novo para vencer nossos vícios, nascer de novo para buscar a mudança íntima que deve ser realizada pouco à pouco, e assim sermos exemplos para aqueles que estão a nossa volta.
                É nesse sentido que abordamos o tema ora estudado, onde observamos que estamos tendo a dádiva da presente reencarnação, para buscarmos nosso progresso e realizarmos ações que nos promovam o progresso espiritual.
                Na pergunta 167 de O Livro dos Espíritos, Kardec pergunta: Qual é o objetivo da reencarnação? Responde o Espírito da Verdade: expiação, aprimoramento progressivo da humanidade, sem isso, onde estaria a justiça?
                Deus que é soberanamente justo e bom dá-nos agora a oportunidade de realizar, aprimorar e corrigir nossas mazelas e buscar o progresso.
                Pois como na frase de Kardec: Nascer, viver, morrer, renascer de novo e progredir continuamente, tal é a lei, temos o devido esclarecimento e a base para que sigamos convictos de nossa posição e missão junto a Doutrina Espírita e nossa transformação moral.
                Assim, sigamos confiantes ante aos obstáculos que surgirão, com a certeza que estamos nascendo de novo a cada amanhecer, para realizar as obras que nos são confiadas.

Juliana P. C. Cuin


Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – set/2015
imagem: google

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

VIGÍLIA MATERNAL

Cap. IV – Item 18
Sorves, em lágrimas silenciosas, o cálice da amargura, ante o filho desobediente, e notas no coração que o amor e a dor palpitam juntos em paroxismos e profundezas.
Desencantada com as leves nódoas de indignidade que lhe entreviste no caráter, reparas, chorando, que ele não é mais a aparição celeste dos primeiros dias e, ao ponderar-lhe a falência iniciante, temes a liberdade que o tempo lhe concederá na construção do destino.
Pretextando querê-lo, não te rendas à feição de praça vencida...
Conquanto carregues o espinho da angústia engastado na alma, é preciso velar no posto de sentinela.
Não deformes o sentimento que te pulsa no peito.
Fortalece a própria vontade, governando-lhe os impulsos.
Ceder sempre, no fundo, é menosprezar.
Sê previdente, aparando-lhe os caprichos.
Acende a luz da prece e medita nas dores excruciantes que alcançaram também a doce mãe de Jesus e ergue a voz no corretivo às irreflexões e aos anseios imoderados que o visitam, se queres fazer dele um homem.
Dosa o sal da energia e o mel da brandura, nos condimentos da educação.
Nem liberdade desordenada, nem apego excessivo.
Se teu filho é tua cruz, lembra-te de que, na Terra, não há nascimento de santos. Almas em luta consigo mesmas, é compreensível vivamos todos nós, não raro, em luta uns com os outros, nos passos ziguezagueantes da experiência.
Sê operosa e humilde, sem ser escrava.
Não cultives desgostos.
Sê fiel à esperança.
Não fites ingratidões, nem coleciones queixumes.
A missão divina da maternidade apóia-se na força onipotente do amor.
Envolve teu filho na palavra de benção, que vence o orgulho, e na luz do exemplo que dissipa as sombras da rebeldia.
Faze que se lhe desenvolvam os sentimentos bons do coração, que o musgo dos séculos recobriu e ocultou.
Não te faças borboleta do sono, quando a vida te pede vigílias de guardiã.
No rio da existência humana, os espíritas são as gotas d'água que se transformam em lâminas de arremesso contra as pedras dos obstáculos, talhando caminhos novos.
O Espiritismo gera consciências livres. Prova a teu filho semelhante verdade pelas próprias ações de renúncia e discernimento, conjugando o bálsamo do carinho com a rédea da autoridade.
Não queiras transformá-lo, à força, em escolhido, dentre aqueles chamados pelo Senhor.
Filhos do Eterno, todos somos cidadãos da Eternidade e somente elevamos a nós mesmos a golpes de esforço e trabalho, na hierarquia das reencarnações.
Assim, pois, embora muitas vezes torturada na abnegação incompreendida, mostra a teu filho que a Lei Divina é insubornável e que todo espírito é responsável por si próprio.
Anália Franco

Fonte: O Espírito da Verdade         
Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira
imagem: google

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

PARENTELA

“E disse-lhe: Sai de tua terra e dentre a tua parentela e dirige-te à terra que eu te mostrar.” — (ATOS 7:3)

Nos círculos da fé, vários candidatos à posição de discípulos de Jesus queixam-se da sistemática oposição dos parentes, com respeito aos princípios que esposaram para as aquisições de ordem religiosa.
Nem sempre os laços de sangue reúnem as almas essencialmente afins.
Frequentemente, pelas imposições da consanguinidade, grandes inimigos são
obrigados ao abraço diuturno, sob o mesmo teto.
É razoável sugerir-se uma divisão entre os conceitos de “família” e “parentela”. O primeiro constituiria o símbolo dos laços eternos do amor, o segundo significaria o cadinho de lutas, por vezes acerbas, em que devemos diluir as imperfeições dos sentimentos, fundindo-os na liga divina do amor para a eternidade. A família não seria a parentela, mas a parentela converter-se-ia, mais tarde, nas santas expressões da família.
Recordamos tais conceitos, a fim de acordar a vigilância dos companheiros menos avisados.
A caminho de Jesus, será útil abandonar a esfera de maledicências e incompreensões da parentela e pautar os atos na execução do dever mais sublime, sem esmorecer na exemplificação, porquanto, assim, o aprendiz fiel estará exortando a, sem palavras, a participar dos direitos da família maior, que é a de Jesus-Cristo.

Fonte: CAMINHO, VERDADE E VIDA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
imagem: google

terça-feira, 27 de setembro de 2016

DIAS DE SOMBRAS II

                Nesses dias sombrios, que acontecem periodicamente e, às vezes, tornam-se contínuos, vigia mais e reflexiona com cuidado.
                Um insucesso é normal, ou mesmo mais de um, num campo de variadas atividades. Todavia, a intérmina sucessão deles pode ter gênese em fatores espirituais perniciosos, cujas personagens interessam-se em prejudicar-te, abrindo espaços mentais e emocionais para intercâmbio nefasto contigo, de caráter obsessivo.
                Quanto mais te irritares e te entregares à depressão, mais forte se te fará o cerco e mais ocorrências infelizes tomarão forma.
                Não te debatas até a exaustão, nadando contra a correnteza, vence-lhe o fluxo, contornando a direção das águas velozes.
                Há mentes espirituais maldosas que te acompanham interessadas no teu fracasso.
                Reage-lhes à insídia mediante a oração, o pensamento otimista, a irrestrita confiança em Deus.
                Rompe o moto-contínuo dos desacertos, mudando de paisagem mental, de forma que não vitalizes o agente perturbador.
                Ouve uma música enriquecedora, que te leve a reminiscências agradáveis ou a planificações animadoras.
                Lê uma página edificante do Evangelho ou de outra Obra de conteúdo nobre, a fim de te renovares emocionalmente.
                Afasta-te do bulício e repousa; contempla uma região que te arranque do estado desanimador.
                Pensa no teu futuro ditoso, que te aguarda.
                Eleva-te a Deus com unção e romperás as cadeias da aflição.
                Há sempre Sol brilhando além das nuvens sombrias, e quando ele é colocado no mundo íntimo, nenhuma ameaça de trevas consegue apagar-lhe, ou sequer diminuir-lhe a intensidade da luz. Segue-lhe a claridade e vence o teu dia de insucessos, confiante e tranquilo.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis      
imagem: google 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

DIAS DE SOMBRAS I

                Coincidentemente, há dias que se caracterizam pela sucessão de ocorrências desagradáveis. Nada parece dar certo. Todas as atividades confundem-se e os fatos apresentam-se perturbadores. A cada nova tentativa de ação, outros insucessos ocorrem, como se os fenômenos naturais transcorressem de forma contrária.
                Nessas ocasiões, as contrariedades aumentam e o pessimismo instala-se nas mentes e na emoção, levando-as a lembranças negativas com presságios deprimentes.
                Quem lhes padece a injunção tende ao desânimo e refugia-se em padrões psicológicos de autoaflição, de infelicidade, de desprezo por si mesmo.
                Sente-se sitiado por forças descomunais, contra as quais não pode lutar, deixando-se arrastar pelas correntes contrárias, envenenando-se com o mau humor.
                São esses, dias de provas, e não para desencanto; de desafio, e não para a cessação do esforço.
                Quando recrudescem as dificuldades, maior deve ser o investimento de energias, e mais cuidadosa a aplicação do valor moral na batalha.
                Desistindo-se sem lutar, mais rápido se dá o fracasso, e quando se vai ao enfrentamento com ideias de perda, parte do labor já está perdido.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google       

sábado, 24 de setembro de 2016

INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS II

                Não te permitas, desse modo, deslizes morais.
                Instaura o período da vigilância pessoal e vitaliza o dever na mente para exercê-lo nos sentimentos junto ao próximo.
                Os que partem da Terra, fortemente imantados aos vícios, retornam ávidos, sedentos, ansiosos, tentando continuar o infeliz programa, ora interrompido, utilizando-se de áulicos afins que lhes cedam os órgãos físicos... em consequência, a caravana das vítimas-inermes, padecendo as rudes obsessões espirituais, é muito grande.
                Liberta-te das paixões inferiores, trabalhando as aspirações e plasmando o futuro mediante a ação correta.
                Muda os clichês mentais viciosos e renova as paisagens íntimas.
                Faze a oração do silêncio, reflexionando sobre os reais valores da vida.
                Vincula-te ao amor ao próximo, contribuindo de alguma forma para o bem de alguém, para o bem geral.
                Sentindo açuladas as tendências negativas, desperta e reage, não te deixando hipntizar pelos espíritos perturbadores.
                Sintoniza com Jesus, e Ele, o Amigo Incondicional e Libertador, virá em teu socorro, favorecendo-te com a paz e a alegria.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS I

                Creia-se ou não, o intercâmbio espiritual sucede, naturalmente, entro das leis de afinidade que regem a vida.
                Onde o homem estagie o pensamento e situe os valores morais, aí ocorrem os mecanismos da sintonia, que facultam o intercurso espiritual.
                Afinal, os espíritos são os homens mesmos, desvestidos do invólucro material, prosseguindo conforme as próprias conquistas.
                Quando atrasados, perseveram nos estados primeiros do seu processo de evolução;
malevos, continuam atados à malquereça;
perversos, permanecem comprazendo-se nas aflições que promovem;
invejosos, estagiam na paixão desgastante que os intoxica;
perseguidores, dão larga às tendências selvagens que cultivam;
odientos, ampliam o círculo em que estertoram, contaminando aqueles que lhes tombam nas armadilhas.
Assim também ocorre com os que vivem a beleza e o amor, fomentam o trabalho e as artes, exercitam as virtudes e promovem o progresso, entesourando conquistas relevantes, de que se fazem depositários, irradiando o bem e mimetizando as criaturas que lhes facultam a assistência benéfica.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

AGASALHO

                O aprendiz buscou o orientador e clamou, agoniado:
                - Amigo querido, por que a contradição em que me vejo? Vivia tranquilo, quando adquiria fé.
                Depois de instalar a fé no coração, o sofrimento apareceu em minha vida...
                Se acumulei tanta confiança na Divina Providência, qual a razão pela qual tantas tribulações me acompanham?
                Momentos surgem, nos quais me sinto em doloroso desespero.
                Por que tamanho contra-senso?
                O interpelado, entretanto, respondeu sem hesitar:
                - Filho, não te revoltes, a Lei do Senhor é justiça e misericórdia.
                O Pai Todo-Sábio não podia livrar-te da provação, mas não podes negar que a Infinita Bondade te amparou com o apoio oportuno, a fim de que atravesses as tempestades de hoje com o agasalho preciso...


Fonte – Caminhos – Chico Xavier/Emmanuel
imagem: google

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

ANIMAIS E ENERGIAS

Pergunta - Gostaria de saber se é possível obter informações de nossa gatinha que desencarnou. Gostaria de saber se ela está bem?
Resposta - Diversas pessoas nos procuram para saber se tenho como obter notícias deste ou daquele animal que desencarnou.
            Muitos tem grande necessidade de saber se eles estão bem, no Mundo espiritual e perturbam-se enquanto não obtêm tal notícia.
            Dizem que sonham com seus animais e que, durante os sonhos, passeiam e brincam com eles como se estivessem ainda encarnado. Sentem-se bem com tais sonhos, porque os fazem sentir como se ainda tivessem seus companheiros ao seu lado. Alguns se entristecem porque não conseguem se desligar dos animais e pensam neles o tempo todo. Isso os perturba na outra dimensão.
            Uma maneira de aliviar nossas ansiedades quanto aos nossos amigos afastados, temporariamente, é buscar diretamente no Mundo espiritual as notícias desejadas sobre a situação deles. Na verdade, nós já fazemos isso, sem que, na maioria das vezes, saibamos conscientemente.
            A cada noite de sono, nos libertamos do corpo físico e exploramos o Mundo espiritual, tendo contato com locais e espíritos conhecidos naquela dimensão, inclusive com os nossos amigos animais.
            Quando sonhamos com eles, na maioria das vezes, é um contato real e mesmo que não nos lembremos conscientemente, o contato é feito. Portanto procure saber, você mesmo, como está o seu companheiro no Plano espiritual.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

terça-feira, 20 de setembro de 2016

O PERDÃO ÀS PESSOAS AMADAS

                É comum um casal de namorados, na fase de amor intenso, comer no mesmo prato, usar o mesmo talher e, às vezes, até usar a mesma escova de dentes.
                Quem poderia imaginar que mais tarde, já casados, eles se separariam  e se tornariam inimigos passando, inclusive, a odiar um ao outro. Quanto maior o amor que sentiam, mais ódio animará a relação de ex-marido e ex-esposa.
                A vida é assim, a qualquer momento podemos ser traídos. Traídos por quem? Pelas pessoas estranha? Não seria traição, pois não devotamos qualquer  devoção a estranhos. Podemos, sim, ser traídos pelas pessoas que mais amamos. Mas, por que isto acontece? Porque elas são humanas e o ser humano é frágil.
                Olhe para trás, veja quantas vezes já pisou na bola com as pessoas amadas e teve de pedir perdão para manter o relacionamento. O ato de pedir perdão é uma das mais belas provas de humildade.
                Esse ato demonstra como é grande a pessoa que está pedindo perdão. Mas, só terá coragem de pedir perdão quem perdoar sempre. Quem não perdoa será traído pela consciência quando precisar pedir perdão. Quando alguém nos faz mal, o fato de perdoarmos não vai liberar a pessoa de responder perante a Justiça Divina pelo mal que nos fez.
                Quando pedimos perdão não seremos libertos da dívida que contraímos ao fazer a outra pessoa sofrer. Mas então para que perdoar? A mágoa mantém algemadas as duas pessoas, quem feriu e quem foi ferida. O agressor muitas vezes nem vai se lembrar do ato cometido mas o agredido vai ficar noites acordado lembrando do ocorrido.
                É como se ele gravasse o acontecimento e assistisse ao replay, várias vezes, exaustivamente. Porque cada vez que se lembra sente tudo novamente. Daí a expressão ressentimento, ressentir, sentir de novo. Toda a adrenalina, a perna bamba, o batimento cardíaco acelerado se repete várias vezes, causando males incalculáveis àquela pessoa que foi ferida pelo agressor.
                É como se atraísse o sofrimento para si em um processo masoquista. Quando se perdoa ocorre a libertação da imagem que causou tanta violência no corpo e na alma. Mas, como perdoar algum eu não merece o nosso perdão? Não é por ela que se deve perdoar, é por você mesmo. O perdão é um processo que exige disciplina e muita força de vontade.
                Primeiro, inicie justificando o erro da pessoa que lhe fez mal. Repita diariamente, mesmo sem vontade, as seguintes frases: “Ele não fez por querer”, “Talvez esteja passando por muitos problemas”. No início você fará de má vontade mas, aos poucos, sentirá o que está verbalizando.
                Pense que a pessoa não fez por mal mas por fragilidade no coração e que, se você estivesse no lugar dela, talvez teria a mesma atitude. Fazendo isto, diariamente, com o passar de mais ou menos três meses, sentirá uma leveza tão grande. Será como se houvessem retirado um peso de 50 kg de suas costas. A vida ficará mais leve e novos horizontes se abrirão a você.
                Perdoar é como jogar no lixo alimentos que já estão estragados e que podem estragar os demais. Perdoe, sinta-se leve e seja feliz.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

CURA E CARIDADE

Espírito: EMMANUEL.
Cada vez que nos reportamos aos serviços da cura, é justo pensar nos enfermos, que transcendem o quadro da diagnose comum.
Enxameiam, aflitos, por toda parte, aguardando medicação.
Há os que cambaleiam de fome, a esmolarem doses de alimentação adequada.
Há os que tremem desnudos, requisitando a internação em roupa conveniente.
Há os que caem desalentados, a esperarem pela injeção de bom ânimo.
Há os que arrojaram nos tormentos da culpa, rogando tranquilizantes do
esquecimento.
Há os que se conturbam nas trevas da obsessão a pedirem palavras de luz por drágeas de amor.
Há os que choram de saudade nos aposentos do coração, suplicando a bênção do reconforto.
Há os que foram mentalmente mutilados por desenganos terríveis, a suspirarem por recursos de apoio.
E há, ainda, aqueles outros que se envenenaram de egoísmo e frieza, desespero e ignorância, exigindo a terapêutica incessante da desculpa incondicional.
Ajuda, sim, aos doentes do corpo, mas não desprezes os doentes da alma, que caminham na Terra, aparentemente robustos, carregando enfermidades imanifestas que lhes consomem o pensamento e desfiguram a vida.
Todos podemos ser instrumentos do bem, uns para com os outros.
Não esperes que o companheiro se acame prostrado ou febril para estender-lhe esperança e remédio.
Auxilia-o, hoje mesmo, sem humilhar ou ferir, de vez que a verdadeira caridade, tanto quanto possível é tratamento indolor da necessidade humana.
Os emissários do Cristo curam os nossos males em divino silêncio.
Diante dos outros, procedamos nós igualmente assim.


Fonte: Ideal Espírita – Chico Xavier/Espíritos Diversos
imagem: google

domingo, 18 de setembro de 2016

PERANTE O SEXO

Nunca escarneça do sexo, porque o sexo é manancial de criação divina, que não pode se responsabilizar pelos abusos daqueles que o deslustram.

Psicologicamente, cada pessoa conserva, em matéria de sexo, problemática diferente.

Em qualquer área do sexo, reflita antes de se comprometer, de vez que a palavra empenhada gera vínculos no espírito.

Não tente padronizar as necessidades afetivas dos outros por suas necessidades afetivas, porquanto embora o amor seja luz uniforme e sublime em todos, o entendimento e posição do amor se graduam de mil modos na senda evolutiva.

Use a consciência, sempre que se decidir ao emprego de suas faculdades genésicas, imunizando‐se contra os males da culpa.

Em toda comunicação afetiva, recorde a regra áurea: "não faça a outrem o que não deseja que outrem lhe faça".

O trabalho digno que lhe assegure a própria subsistência é sólida garantia contra a prostituição.

Não arme ciladas para ninguém, notadamente nos caminhos do afeto, porque você se precipitará dentro delas.

Não queira a sua felicidade ao preço do alheio infortúnio, porque todo desequilíbrio da afeição desvairada será corrigido, à custa da afeição torturada, através da reencarnação.

Se alguém errou na experiência sexual, consulte o próprio íntimo e verifique se você não teria incorrido no mesmo erro se tivesse oportunidade.

Não julgue os supostos desajustamentos ou as falhas reconhecidas do sexo e sim respeite as manifestações sexuais do próximo, tanto quanto você pede respeito para aquelas que lhe caracterizam a existência, considerando que a comunhão sexual é sempre assunto íntimo entre duas pessoas, e, vendo duas pessoas unidas, você nunca pode afirmar com certeza o que fazem; e, se a denúncia quanto à vida sexual de alguém é formulada por parceiro ou parceira desse alguém, é possível que o denunciante seja mais culpado quanto aos erros havidos, de vez que, para saber tanto acerca da pessoa apontada ao escárnio público, terá compartilhado das mesmas experiências.

Em todos os desafios e problemas do sexo, cultive a misericórdia para com os outros, recordando que, nos domínios do apoio pela compreensão, se hoje é o seu dia de dar, é possível que amanhã seja o seu dia de receber.


Fonte: Sinal Verde – Chico Xavier/André Luiz
imagem: google

sábado, 17 de setembro de 2016

ENGANOS E EQUÍVOCOS

                “Crescerás horizontalmente, conquistarás o poder e a fama, reverenciar-te-ão a presença física na terra, mas, se não trouxeres contigo os valores do bem, ombrearás com os infelizes em marcha imprevidente para as ruínas do desencanto”.  (Emmanuel, no livro “Fonte Viva”, psicografia Francisco Cândido Xavier)
                Em todos os setores do mundo, nunca se observou tantas conquistas tecnológicas e avanços materiais como nos dias presentes, e, em todos os níveis humanos, nunca se identificou tantas dores e sofrimentos, aflições e angústias como nos momentos atuais.
                Cresce o homem em intelectualidade ao passo que distancia-se da moralidade. A vida na Terra torna-se mais confortável e atrativa e os dramas sociais e psicológicos prosperam assustadoramente.
                As criaturas, observando as condutas que imprimem, parecem querer viver de forma onde para se conseguir a realização dos sonhos e desejos, tudo pode, tudo vale, mesmo que o preço pago para isso seja alto demais.
                Os valores morais e espirituais seguem esquecidos ou relegados a planos secundários, enquanto os valores materiais, sensuais e transitórios são buscados com sofreguidão e ansiedade.
                Se estamos no mundo é obvio que não podemos deixar de viver nele e contar com os recursos de toda natureza que ele nos oferece, o perigo e o equívoco estão em se dedicar mais atenções ao que é efêmero, ilusório e passageiro do que ao que é definitivo e duradouro.
                O resultado aí está estampado; tragédias, dramas, complicações familiares, acidentes e outros que formam o cortejo indesejável, mas real, da vida que levamos.
                O consumo tabagista, com as consequências nefastas que trás, anda a níveis extraordinários, onde proporcionamos lucros às empresas fabricantes de cigarros e poluímos o nosso corpo com a sujeira dos malefícios que arruínam a nossa saúde.
                O álcool, esse veneno livre, tem imensa adesão e é aplaudido por quase a totalidade humana, deixando à retaguarda um rastro de violência e destruição, muitas vezes irreversível. E o que é ainda pior e triste, sendo consumido, cada vez mais, por crianças e jovens desavisados, principalmente diante da omissão dos próprios pais e responsáveis.
                Os tóxicos mais pesados, que movimentam clandestinamente milhões de reais, ajudam, com forte poder, a destruir a jovem geração do presente, esta que deverá forjar o caráter, o amadurecimento e as experiências daqueles que terão, em dias futuros, os destinos sociais nas mãos. Por quem e como seremos dirigidos amanhã?
                A sexualidade tomando caminhos bestiais, embrutecidos e animalizados, onde se substitui o sentimento das uniões respeitosas e dignas entre as pessoas, tornando-se uma ilha de prazer e loucuras sem freios, limites e medidas. Uniões e desuniões se processam num verdadeiro bailado de indiferenças para com os nobres valores humanos.
                E as famílias decorrentes desses descasos e sentimentos brutalizados vão se esfacelando, produzindo com isso criaturas desequilibradas, omissas e perigosas que chegando ao meio social esparramam a ruína e a dor.
                Será que essa é a proposta humana? Viver na Terra como se tudo possa durar tão pouco? Alguns anos, décadas? É, então, tempo de perguntar: De onde viemos, o que fazemos aqui e para onde vamos?
                Ainda dá para refletir e mudar. Informações não nos faltam, da ciência, da filosofia e da religião. Busquemos por elas para redirecionarmos a rota da nossa existência.
                Não estamos numa colônia de férias, nem num paraíso de delícias, mas neste mundo, em busca de consolidação dos valores definitivos, tais como amor, respeito, caridade, solidariedade, disciplina, paciência, etc, tudo o mais que diferir deles, por certo, nos acarretarão sérios problemas e dissabores.
                Todos desejamos a felicidade, mas a forma e a maneira de busca-la é que nos garantirão as condições básicas para conseguí-la ou não.
                Tomemos cuidado com os enganos e equívocos.

Waldenir Cuin


Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – Set/2015
imagem: google

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

CÓLERA

Cap. IX – Item 10
A cólera apresenta dez negativas complexas que induzem a melhor das criaturas à pior das frustrações:
1. Não resolve. Agrava.
2. Não resgata. Complica.
3. Não ilumina. Escurece.
4. Não reúne. Separa.
5. Não ajuda. Prejudica.
6. Não equilibra. Desajusta.
7. Não reconforta. Envenena.
8. Não favorece. Dificulta.
9. Não abençoa. Maldiz.
10. Não edifica. Destrói.
Evite a cólera como quem foge ao contato destruidor de alta tensão.
Mas se você amanhece de mau humor, antes que o flagelo se instale de todo na sua cabeça e na sua voz, comece o dia rogando à Divina Bondade o socorro providencial de uma laringite.
André Luiz

Fonte: O Espírito da Verdade         
Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira
imagem: google

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

MINISTÉRIOS

“Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” — (1ª EPÍSTOLA A PEDRO 4:10)

Toda criatura recebe do Supremo Senhor o dom de servir como um ministério essencialmente divino.
Se o homem levanta tantos problemas de solução difícil, em suas lutas sociais, é que não se capacitou, ainda, de tão elevado ensinamento.
O quadro da evolução terrestre apresenta divisão entre os que denominais “magnatas” e “proletários”, porqüanto, de modo geral, não se entendeu até agora no mundo a dignidade do trabalho honesto, por mais humilde que seja.
É imprescindível haja sempre profissionais de limpeza pública, desbravadores de terras insalubres, chefes de fábricas, trabalhadores de imprensa.
Os homens não compreenderam, ainda, que a oportunidade de cooperar nos trabalhos da Terra transforma-os em despenseiros da graça de Deus.
Chegará, contudo, a época em que todos se sentirão ricos. A noção de “capitalista” e “operário” estará renovada. Entender-se-ão ambos como eficiente servidores do Altíssimo.
O jardineiro sentirá que o seu ministério é irmão da tarefa confiada ao gerente da usina.
Cada qual ministrará os bens recebidos do Pai, na sua própria esfera de ação, sem a idéia egoística de ganhar para enriquecer na Terra, mas de servir com proveito para enriquecer em Deus.
                
Fonte: CAMINHO, VERDADE E VIDA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
imagem:google

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

RECURSOS DA ORAÇÃO II

                Por mais te sintas pleno, não percas o hábito da oração, a fim de te manteres equilibrado.
                Atravessando dificuldades ou enfrentando provas rudes e expiações, recorre-lhe ao concurso, e constatarás os benefícios que te advirão.
                Para manter o ritmo de trabalho e conservar o ideal, ela é o meio mais eficaz, de ação duradoura, de que podes dispor com facilidade. Não somente te preservará as forças morais e espirituais, como atrairá a presença dos Bons Espíritos, que se fazem instrumentos de Deus para a solução de muitos problemas humanos.
                Dá prosseguimento à oração, utilizando-te da ação digna, que te manterá psiquicamente no mesmo elevado clima.
                Quem ora, renova-se e ilumina-se, pois acende claridades íntimas que se exteriorizam mediante vibrações especiais.
                Quando consigas experimentar o bem-estar e a alegria que se derivam da oração, buscá-la-ás com frequência, tornando-se-te linguagem de comunicação com a Vida Estuante.
                Envolto nas suas irradiações, diluirás todo mal que se te acerque, beneficiando os maus que de ti se aproximem.
                De tal maneira te sentirás, que passarás a orar constantemente, tornando tua existência um estado de prece.
                Recorre à oração em todos os momentos da vida. Na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na riqueza e sem recursos, no êxito e no fracasso, ora confiante na resposta divina.
                Orando, elevar-te-ás, e na energia de prece receberás tudo quanto se tornará necessário para prosseguires lutando e lograres a vitória.
                A criatura busca Deus pela oração e Ele responde-lhe mediante a intuição do que fazer, de como fazer e para que, fazendo, seja feliz.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis      
imagem: google 

terça-feira, 13 de setembro de 2016

RECURSOS DA ORAÇÃO I

                A oração é o recurso mirífico mais acessível para permitir à criatura a comunicação com o Criador.
                Ponte invisível de energias sutis, faculta a união da alma com o Genitor Divino, por cujo meio ela haure as forças e a inspiração para os cometimentos difíceis da existência.
                Não altera o campo de lutas, nem impede os testemunhos que favorecem a evolução. Entretanto, brinda resistências para os embates, encorajando e vitalizando sempre.
                Amplia a visão da realidade, ao tempo em que robustece o entusiasmo de quem se lhe entrega.
                Modifica a compreensão e o modo de encarar-se os acontecimentos, produzindo sintonia com o Divino Pensamento, que tudo governa.
                Quem ora, supera tensões e penetra-se de paz.
                A oração cria as condições e as circunstâncias para a meditação, que projeta o psiquismo nas esferas elevadas, assim equilibrando a saúde e as aspirações, por melhor orientar o sentido da existência e a programática da reencarnação.
                Ela prepara o santo, sustenta o herói, inspira o pesquisador, mantém a vida, enquanto projeta luz nas paisagens em sombra ou enevoadas, que se apresentam ameaçadoras.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis  
imagem: google      

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

INICIAÇÃO MEDIÚNICA II

                Se desejas cooperar com os Benfeitores da humanidade, no campo das responsabilidades mediúnicas, tem tento e entrega-te a Deus, resguardando-te na oração, no estudo e na ação da caridade.
                Não te apresses em apurar as tuas faculdades medianímicas.
                Aprimora-te, primeiro, nos valores morais, submetendo-te ao caldeamento das paixões inferiores, de modo a superar-te.
                Dedica-te ao serviço do bem e à caridade fraternal, aprendendo boa vontade e submissão.
                Libera-te de caprichos e pequenezes do caráter, com que aprenderás cooperação e entendimento, tornando-te dúctil, maleável ao intercâmbio espiritual.
                Propõe-te silêncio e meditação diante dos fatos e ocorrência lamentáveis, treinando discrição e humildade.
                Busca manter a vida interior e resguarda-te de agredir, sequer por pensamento, favorecendo aos espíritos um campo mental tranquilo.
                Cultiva a paciência, submetendo a presunção, com que te armarás de consciência moral para uma sintonia correta com os desencarnados, que os Benfeitores Espirituais, encarregados do teu programa mediúnico, estabelecerão para a tua tarefa de redenção.
                Jesus, o Médium por Excelência, entregava-se a Deus, sem exigência nem precipitação, recebendo do Pai as diretrizes para o Seu messianato, com que nos vem alçando do vale das humanas fraquezas para a montanha da sublimação espiritual, que é o nosso fanal.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

sábado, 10 de setembro de 2016

INICIAÇÃO MEDIÚNICA I

                A mediunidade, como qualquer outra faculdade, exige exercício, treinamento, dedicação.
                Pelas suas características de paranormalidade, impõe estudo cuidadoso e disciplina correta.
                O conhecimento dos seus mecanismos e o da própria personalidade darão ao candidato os parâmetros para melhor aquilatar as manifestações, o conteúdo, os resultados.
                O fator moral é, igualmente, de relevante importância pelos efeitos que dele resultam.
                Estando o homem mergulhado num universo de ondas, mentes e vibrações, de espíritos, ele sintoniza conforme e frequência em que estagia mentalmente, atraindo o afins e repelindo os contrários.
                Não havendo milagres, nem mutações nos processos anímicos e mediúnicos, por serem fenômenos naturais, a educação das faculdades parafísicas produz-se com o rigor para cuja finalidade se deseje usá-los.
                O tempo proporciona, como em qualquer outro cometimento, os resultados que nem sempre se lobrigam nos primeiros tentames.
                Pelas delicadas teceduras de que se revestem as forças psíquicas, o fenômeno mediúnico independe do sensitivo, que deve estar sempre em condições, porém, na dependência dos espíritos, sem cujo contributo não se produzirá.
                O conhecimento da faculdade mediúnica proporcionará ao homem, melhor comportamento, a fim de produzir com eficiência e tranquilidade.

Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A LÍNGUA

Não obstante pequena e leve, a língua é, indubitavelmente, um dos fatores determinantes no destino das criaturas.
Ponderada – favorece o juízo
Leviana – descortina a imprudência
Alegre – espalha otimismo
Triste – semeia desânimo
Generosa – abre caminho à elevação
Maledicente – cava despenhadeiros
Gentil – provoca reconhecimento
Atrevida – traz a perturbação
Serena – produz calma
 Fervorosa – impõe a confiança
Descrente – invoca a frieza


Fonte – Preces e Mensagens Espirituais – Chico Xavier/André Luiz
imagem: google

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

ANIMAIS E ENERGIAS

Pergunta - Fico mentalizando meus gatos que já desencarnaram. Tenho direito de pedir a Deus que mantenha meus animais perto de mim para que ajudem na minha evolução?
Resposta - Nosso direito vai até onde começa o direito do próximo. Não temos o direito de invadir seu território, a menos que nos permitam, de bom grado.
            Os animais possuem os mesmos direitos à evolução que nós e, estando eles desencarnados, possuem, portanto, o direito de passar pelos processos reencarnatórios com tranquilidade.
            Não devemos com as nossas rogativas, até certo ponto egoístas, prejudica-los, ao buscarmos nossos objetivos de bem-estar, em detrimento do deles.
            Se não estivermos visando, em primeiro lugar, ao bem-estar deles e insistimos em interferir nos seus direitos de evoluir com tranquilidade, na verdade não estaríamos contribuindo em nada para o nosso caminho evolutivo.
            Ao insistirmos em agir deste modo egoísta, estaremos prejudicando também a nossa própria evolução, pois ela depende única e exclusivamente de nosso próprio esforço. Não podemos ficar na dependência de terceiros para nos elevarmos espiritualmente e principalmente dos espíritos dos animais, que são nossos tutelados. Os animais possuem seu caminho evolutivo e nós temos o nosso.
            Cuidemos do nosso, que já não é tarefa fácil.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedet
imagem: google

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

O PODER DA DOÇURA

O viajante caminhava pela estrada, quando observou o pequeno rio que começava tímido por entre as pedras. Foi seguindo-o por muito tempo. Aos poucos, ele foi tomando volume e se tornando um rio maior.

O viajante continuou a segui-lo. Bem mais adiante, o que era um pequeno rio, se dividiu em dezenas de cachoeiras, num espetáculo de águas cantantes.

A música das águas atraiu mais o viajante, que se aproximou e foi descendo pelas pedras, ao lado de uma das cachoeiras. Descobriu, finalmente, uma gruta. A natureza criara, com paciência, caprichosas formas na gruta. Ele a foi adentrando, admirando sempre mais as pedras gastas pelo tempo.

De repente, descobriu uma placa. Alguém estivera ali antes dele. Com a lanterna, iluminou os versos, que nela estavam escritos. Eram versos do grande escritor Tagore, prêmio Nobel de literatura de 1913:

"Não foi o martelo que deixou perfeitas estas pedras, mas a água, com sua doçura, sua dança e sua canção. Onde a dureza só faz destruir, a suavidade consegue esculpir."

Assim também acontece na vida. Existem pessoas que explodem por coisa nenhuma e que desejam tudo arrumar aos gritos e pancadas. E existem as pessoas suaves, que sabem dosar a energia e tudo conseguem. São as criaturas que não falam muito, mas agem bastante.


Enquanto muitos ainda se encontram à mesa das discussões para a tomada de decisões, elas á se encontram a postos, agindo... 

- autor desconhecido- 


imagem: google