- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 25 de março de 2017

O PERDÃO NAS TRÊS DIMENSÕES DA ALMA III

                A terceira dimensão é atingida por pouquíssimas pessoas. É a que Kierkegaard chama de “dimensão religiosa”. Nessa fase, nós vivemos o dever com prazer, ou seja, temos prazer em servir, nos felicitamos em tornar o outro feliz.
                Exemplos de pessoas que vivem sua vida inteira nessa dimensão são raros. Podemos citar alguns: Francisco de Assis, Madre Tereza de Calcutá, Chico Xavier, Bezerra de Menezes, embora existam muitos heróis anônimos que dedicam a existência, esquecendo de si mesmos e servindo aos outros.
                Como já dissemos, São Vicente de Paulo diz: “É possível avaliar o nível moral de uma pessoa pelo seu desinteresse pessoal”. Traduzindo, quanto mais interesseiro é o indivíduo, menor é o seu nível moral.
                Apesar da dimensão religiosa estar tão distante de nós, é necessário que saibamos que existem pessoas nessa dimensão e que, com mudança de paradigmas, entenderemos melhor porque elas optam por este caminho e encontram prazer em cumprir o dever de fazer outrem feliz.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

sexta-feira, 24 de março de 2017

O PERDÃO NAS TRÊS DIMENSÕES DA ALMA II

                A segunda, de acordo com Kierkegaard, é a “dimensão ética” que representa momentos em que, matematicamente, proporcionamos o nosso prazer ao dever. É a dimensão do conflito, da falta de paz espiritual.
                Dois terços dos seres humanos vivem nessa dimensão e é nela que estão presentes a culpa, o remorso, a mágoa, os ressentimentos, etc. nessa mesma dimensão gozamos os nossos prazeres mas agimos sobre os auspícios da nossa consciência ativa ou dormente.
                Quando a nossa consciência está dormente, durante a decisão experimentamos os sentimentos de raiva, mágoa, culpa, etc. É uma dimensão de muitos conflitos íntimos, o que leva á várias doenças da alma humana como depressão, ansiedade, TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – pânico, etc. O nosso desafio é encontrar o equilíbrio na razão matemática: prazer com dever.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

quinta-feira, 23 de março de 2017

O PERDÃO NAS TRÊS DIMENSÕES DE ALMA I

                Durante a nossa vida imortal vivemos em dimensões diferentes, que definem nosso nível psicológico, espiritual e moral. O filósofo Soren Kierkegaard afirma que os seres humanos passam por três dimensões, durante a sua existência na Terra.
                A primeira é o que o filósofo chama de “dimensão estética”, dimensão da forma. Para ele, são momentos em que buscamos a satisfação dos nossos prazeres sem analisar as conseqüências deles na vida dos outros.
                Ambicionamos subir de cargo em uma empresa e para isso prejudicamos nossos colegas de trabalho. Às vezes provocamos a perda do seu emprego, alegando que não é problema nosso serem eles incompetentes ou displicentes com relação as suas obrigações.
                Buscamos o prazer sexual, traindo nossos parceiros ou parceiras, sem analisarmos as conseqüências dessas atitudes que resultam em muita dor para eles e, consequentemente, para nós também. Daí resulta o enfraquecimento de uma relação permanente ou mesmo o seu rompimento.
                Trabalhamos horas e horas para acumular bens esquecendo-nos que nosso maior patrimônio está dentro de nosso lar, a esposa, o marido, os filhos, tesouros esses que necessitam dos nossos cuidados até porque os filhos crescem muito rápido.
                Enfim, vivemos como hedonistas, dionisíacos, baconistas em busca do prazer pelo prazer fazendo disto a finalidade da vida sem analisar suas consequências.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

quarta-feira, 22 de março de 2017

DOADORES DO SUOR

Espírito: AURA CELESTE.
Todos os dias surgem, aqui e ali, os que procuram doadores.
Devedores da fiança terrena buscam doadores de empréstimos nos institutos
amoedados.
Adeptos desses ou daquele partido político buscam doadores de cargos públicos.
Estudantes buscam doadores de instrução na esfera universitária.
Mulheres buscam doadores de elegância no campo da moda.
Artistas buscam doadores de inspiração.
Por toda a parte, há doadores.
Doadores de providências, de recursos, de idéias, de estímulos, de sangue, de olhos, de informações, de palavras.
E Jesus também, caminha na Terra procurando certa categoria de doadores difíceis de encontrar, - os doadores de suor, que trabalham desinteressadamente na construção do seu reino de luz.
Irmãos, o Divino Amigo nos bate às portas do coração, pedindo serviço...
Sigamos adiante, guardando a felicidade de sermos com Ele os doadores de suor.


Fonte: Ideal Espírita – Chico Xavier/Espíritos Diversos
imagem: google

terça-feira, 21 de março de 2017

DESPERTAMENTO

ANDRÉ LUIZ
Busquemos, sim meus amigos, ouvir a palavra daqueles que nos antecederam na ascensão à Vida Superior, mas, antes disso; comuniquemo-nos com os “mortos da Terra”, adensando a assembleia de ouvintes, à frente da mensagem da vida imortal.
Acordemos, com o nosso exemplo e com a nossa fé, os que adormeceram na jornada e guardam o coração rígido ou indiferente.
Levantemos aqueles que transformaram a existência em cemitério de impossibilidade, ante o sofrimento do próximo, os que enregelaram os melhores sentimentos no egoísmo esterilizante; os que converteram os bens do mundo em adornos frios e inúteis, os que transformaram o jardim em que respiram num túmulo florido e os que fizeram da oportunidade de viver auxiliando aos semelhantes um cadafalso de ouro a que se acolhem, receando o alheio infortúnio, porque há mais morte no caminho humano que no próprio sepulcro, para onde dirigis, procurando a revelação da verdade.
Estendamos braços vivos e corações ardentes aos nossos irmãos anestesiados no leito da improdutividade ou no altar efêmero de fantasiosas prerrogativas.
A terra espera por nós.
Trabalhemos, acordando os nossos irmãos do cotidiano, na renovação substancial de tudo e de todos para o Infinito Bem, porque a própria natureza é luz triunfante e todos somos herdeiros da Vida Universal.


Da Obra “UApostilas da VidaU” -Espírito: André Luiz - Médium: Francisco Cândido Xavier.

segunda-feira, 20 de março de 2017

GUERRA SANTA POR UM PEDAÇO DO CÉU

                Em época em que a liberdade religiosa é pregada aos quatro ventos nos países laicos, ainda existe uma grande resistência por parte de alguns pseudo religiosos que acreditam que o deus deles é melhor, ou que a religião que a servem é a única porta de entrada para o “céu”, e que todas as demais levam ao infortúnio e pecado em vida, e ao “inferno” no desencarne.
                As disputas pelos credos – muitas vezes são camufladas e, em outras tantas, são expostas publicamente nas mídias impressas e televisivas -, já geraram guerras e ceifaram a vida de milhões de inocentes no mundo todo. Ainda assim, tem quem faça parte do exército implacável, que acredita que vale qualquer preço para angariar mais ovelhas para o pastoreio do Cristo. Acreditam que o simples fato de trazerem alguém para a sua religião, pode gerar a tão sonhada salvação. Ora, mas como isso pode ser possível se a salvação é individual, como prega a Bíblia?
                Essa é a questão primordial que deveria ser colocada em pauta nos meios religiosos e nas discussões acerca do tema. Esquecer de olhar a sua própria vida e, querer mudar a conduta do próximo, é como tapar os olhos e andar rumo ao despenhadeiro, é queda na certa! Em Mateus 7:5, o recado é bem claro: “Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás de tirar o argueiro do olho do teu irmão”. Deus e Jesus não são representados por construções ou placas de igreja ou de centro espírita. Eles são a personificação do amor, fraternidade, paz, união, humildade e boa vontade, lições que precisam ser seguidas. De acordo com Lucas 6:43-44, “não há árvore boa que dê mau fruto; nem tampouco árvore má que dê bom fruto. Porquanto, cada árvore é conhecida pelo seu próprio fruto. Porque não se colhem figos de espinheiros, nem dos abrolhos se vindimam uvas”.
                Que a regeneração do  mundo traga para o ser humano o entendimento de que ninguém deixará de viver provas e expiações na Terra, ou gozará de boa vida no plano espiritual por conta da sua doutrina, mas pelas suas ações e trabalho no bem.

Renata Girodo

Fonte: Jornal Verdade e Vida – nov/2015
imagem: google

terça-feira, 14 de março de 2017

CARIDADE E VOCÊ

Cap. XVI – Item 9
Acredita você que só a caridade pode salvar o mundo; entretanto, não se demore na posição de comentarista.
Não nos diga que é pobre e incapaz de contribuir na campanha renovadora da sublime virtude.
Senão vejamos.
Se você destinar a quantia correspondente a um refrigerante ou um aperitivo em cinco doses, segundo os seus hábitos, aos serviços de qualquer hospital, no fim de um mês haverá mais decisiva medicação para certo doente.
Se você renunciar ao cinema de uma vez em cada cinco, endereçando o dinheiro respectivo a uma creche, ao término de duas ou três semanas, a instituição contará com mais leite em favor das crianças necessitadas.
Se você suprimir um maço de cigarros em cada cinco de seu uso particular, dedicando o fruto dessa renúncia a uma casa erguida para os irmãos distanciados do conforto doméstico, em breve tempo o agasalho devido a eles será mais rico.
Se você economizar as peças do vestuário, guardando a importância equivalente a uma delas em cada cinco, para socorro ao próximo menos feliz, no fim de um ano disporá você mesmo de recursos suficientes para vestir alguém que a nudez ameaça.
Não espere pela bondade dos outros.
Lembre-se daquela que você mesmo pode fazer.
É possível que você nos responda que o supérfluo é seu próprio suor, que não nos cabe opinar em seu caminho e que o copo e o filme, o fumo e a moda são movimentados à sua custa.
Você naturalmente está certo na afirmativa e não seremos nós quem lhe contestará semelhante direito.
A vontade é sagrado atributo do espírito, dádiva de Deus a nós outros, para que decidamos, por nós, quanto à direção do próprio destino.
Todavia, nosso lembrete é apenas uma sugestão aos companheiros que acreditam na força da caridade e só ganhará realmente algum valor se houver algum laço entre a caridade e você.
André Luiz

Fonte: O Espírito da Verdade         
Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira
imagem: google

Estarei afastada da blogosfera até segunda-feira (20). E então retornaremos com força total.