- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

DIAS DE SOMBRAS I

                Coincidentemente, há dias que se caracterizam pela sucessão de ocorrências desagradáveis. Nada parece dar certo. Todas as atividades confundem-se e os fatos apresentam-se perturbadores. A cada nova tentativa de ação, outros insucessos ocorrem, como se os fenômenos naturais transcorressem de forma contrária.
                Nessas ocasiões, as contrariedades aumentam e o pessimismo instala-se nas mentes e na emoção, levando-as a lembranças negativas com presságios deprimentes.
                Quem lhes padece a injunção tende ao desânimo e refugia-se em padrões psicológicos de autoaflição, de infelicidade, de desprezo por si mesmo.
                Sente-se sitiado por forças descomunais, contra as quais não pode lutar, deixando-se arrastar pelas correntes contrárias, envenenando-se com o mau humor.
                São esses, dias de provas, e não para desencanto; de desafio, e não para a cessação do esforço.
                Quando recrudescem as dificuldades, maior deve ser o investimento de energias, e mais cuidadosa a aplicação do valor moral na batalha.
                Desistindo-se sem lutar, mais rápido se dá o fracasso, e quando se vai ao enfrentamento com ideias de perda, parte do labor já está perdido.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google       

sábado, 24 de setembro de 2016

INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS II

                Não te permitas, desse modo, deslizes morais.
                Instaura o período da vigilância pessoal e vitaliza o dever na mente para exercê-lo nos sentimentos junto ao próximo.
                Os que partem da Terra, fortemente imantados aos vícios, retornam ávidos, sedentos, ansiosos, tentando continuar o infeliz programa, ora interrompido, utilizando-se de áulicos afins que lhes cedam os órgãos físicos... em consequência, a caravana das vítimas-inermes, padecendo as rudes obsessões espirituais, é muito grande.
                Liberta-te das paixões inferiores, trabalhando as aspirações e plasmando o futuro mediante a ação correta.
                Muda os clichês mentais viciosos e renova as paisagens íntimas.
                Faze a oração do silêncio, reflexionando sobre os reais valores da vida.
                Vincula-te ao amor ao próximo, contribuindo de alguma forma para o bem de alguém, para o bem geral.
                Sentindo açuladas as tendências negativas, desperta e reage, não te deixando hipntizar pelos espíritos perturbadores.
                Sintoniza com Jesus, e Ele, o Amigo Incondicional e Libertador, virá em teu socorro, favorecendo-te com a paz e a alegria.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS I

                Creia-se ou não, o intercâmbio espiritual sucede, naturalmente, entro das leis de afinidade que regem a vida.
                Onde o homem estagie o pensamento e situe os valores morais, aí ocorrem os mecanismos da sintonia, que facultam o intercurso espiritual.
                Afinal, os espíritos são os homens mesmos, desvestidos do invólucro material, prosseguindo conforme as próprias conquistas.
                Quando atrasados, perseveram nos estados primeiros do seu processo de evolução;
malevos, continuam atados à malquereça;
perversos, permanecem comprazendo-se nas aflições que promovem;
invejosos, estagiam na paixão desgastante que os intoxica;
perseguidores, dão larga às tendências selvagens que cultivam;
odientos, ampliam o círculo em que estertoram, contaminando aqueles que lhes tombam nas armadilhas.
Assim também ocorre com os que vivem a beleza e o amor, fomentam o trabalho e as artes, exercitam as virtudes e promovem o progresso, entesourando conquistas relevantes, de que se fazem depositários, irradiando o bem e mimetizando as criaturas que lhes facultam a assistência benéfica.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

AGASALHO

                O aprendiz buscou o orientador e clamou, agoniado:
                - Amigo querido, por que a contradição em que me vejo? Vivia tranquilo, quando adquiria fé.
                Depois de instalar a fé no coração, o sofrimento apareceu em minha vida...
                Se acumulei tanta confiança na Divina Providência, qual a razão pela qual tantas tribulações me acompanham?
                Momentos surgem, nos quais me sinto em doloroso desespero.
                Por que tamanho contra-senso?
                O interpelado, entretanto, respondeu sem hesitar:
                - Filho, não te revoltes, a Lei do Senhor é justiça e misericórdia.
                O Pai Todo-Sábio não podia livrar-te da provação, mas não podes negar que a Infinita Bondade te amparou com o apoio oportuno, a fim de que atravesses as tempestades de hoje com o agasalho preciso...


Fonte – Caminhos – Chico Xavier/Emmanuel
imagem: google

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

ANIMAIS E ENERGIAS

Pergunta - Gostaria de saber se é possível obter informações de nossa gatinha que desencarnou. Gostaria de saber se ela está bem?
Resposta - Diversas pessoas nos procuram para saber se tenho como obter notícias deste ou daquele animal que desencarnou.
            Muitos tem grande necessidade de saber se eles estão bem, no Mundo espiritual e perturbam-se enquanto não obtêm tal notícia.
            Dizem que sonham com seus animais e que, durante os sonhos, passeiam e brincam com eles como se estivessem ainda encarnado. Sentem-se bem com tais sonhos, porque os fazem sentir como se ainda tivessem seus companheiros ao seu lado. Alguns se entristecem porque não conseguem se desligar dos animais e pensam neles o tempo todo. Isso os perturba na outra dimensão.
            Uma maneira de aliviar nossas ansiedades quanto aos nossos amigos afastados, temporariamente, é buscar diretamente no Mundo espiritual as notícias desejadas sobre a situação deles. Na verdade, nós já fazemos isso, sem que, na maioria das vezes, saibamos conscientemente.
            A cada noite de sono, nos libertamos do corpo físico e exploramos o Mundo espiritual, tendo contato com locais e espíritos conhecidos naquela dimensão, inclusive com os nossos amigos animais.
            Quando sonhamos com eles, na maioria das vezes, é um contato real e mesmo que não nos lembremos conscientemente, o contato é feito. Portanto procure saber, você mesmo, como está o seu companheiro no Plano espiritual.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

terça-feira, 20 de setembro de 2016

O PERDÃO ÀS PESSOAS AMADAS

                É comum um casal de namorados, na fase de amor intenso, comer no mesmo prato, usar o mesmo talher e, às vezes, até usar a mesma escova de dentes.
                Quem poderia imaginar que mais tarde, já casados, eles se separariam  e se tornariam inimigos passando, inclusive, a odiar um ao outro. Quanto maior o amor que sentiam, mais ódio animará a relação de ex-marido e ex-esposa.
                A vida é assim, a qualquer momento podemos ser traídos. Traídos por quem? Pelas pessoas estranha? Não seria traição, pois não devotamos qualquer  devoção a estranhos. Podemos, sim, ser traídos pelas pessoas que mais amamos. Mas, por que isto acontece? Porque elas são humanas e o ser humano é frágil.
                Olhe para trás, veja quantas vezes já pisou na bola com as pessoas amadas e teve de pedir perdão para manter o relacionamento. O ato de pedir perdão é uma das mais belas provas de humildade.
                Esse ato demonstra como é grande a pessoa que está pedindo perdão. Mas, só terá coragem de pedir perdão quem perdoar sempre. Quem não perdoa será traído pela consciência quando precisar pedir perdão. Quando alguém nos faz mal, o fato de perdoarmos não vai liberar a pessoa de responder perante a Justiça Divina pelo mal que nos fez.
                Quando pedimos perdão não seremos libertos da dívida que contraímos ao fazer a outra pessoa sofrer. Mas então para que perdoar? A mágoa mantém algemadas as duas pessoas, quem feriu e quem foi ferida. O agressor muitas vezes nem vai se lembrar do ato cometido mas o agredido vai ficar noites acordado lembrando do ocorrido.
                É como se ele gravasse o acontecimento e assistisse ao replay, várias vezes, exaustivamente. Porque cada vez que se lembra sente tudo novamente. Daí a expressão ressentimento, ressentir, sentir de novo. Toda a adrenalina, a perna bamba, o batimento cardíaco acelerado se repete várias vezes, causando males incalculáveis àquela pessoa que foi ferida pelo agressor.
                É como se atraísse o sofrimento para si em um processo masoquista. Quando se perdoa ocorre a libertação da imagem que causou tanta violência no corpo e na alma. Mas, como perdoar algum eu não merece o nosso perdão? Não é por ela que se deve perdoar, é por você mesmo. O perdão é um processo que exige disciplina e muita força de vontade.
                Primeiro, inicie justificando o erro da pessoa que lhe fez mal. Repita diariamente, mesmo sem vontade, as seguintes frases: “Ele não fez por querer”, “Talvez esteja passando por muitos problemas”. No início você fará de má vontade mas, aos poucos, sentirá o que está verbalizando.
                Pense que a pessoa não fez por mal mas por fragilidade no coração e que, se você estivesse no lugar dela, talvez teria a mesma atitude. Fazendo isto, diariamente, com o passar de mais ou menos três meses, sentirá uma leveza tão grande. Será como se houvessem retirado um peso de 50 kg de suas costas. A vida ficará mais leve e novos horizontes se abrirão a você.
                Perdoar é como jogar no lixo alimentos que já estão estragados e que podem estragar os demais. Perdoe, sinta-se leve e seja feliz.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

CURA E CARIDADE

Espírito: EMMANUEL.
Cada vez que nos reportamos aos serviços da cura, é justo pensar nos enfermos, que transcendem o quadro da diagnose comum.
Enxameiam, aflitos, por toda parte, aguardando medicação.
Há os que cambaleiam de fome, a esmolarem doses de alimentação adequada.
Há os que tremem desnudos, requisitando a internação em roupa conveniente.
Há os que caem desalentados, a esperarem pela injeção de bom ânimo.
Há os que arrojaram nos tormentos da culpa, rogando tranquilizantes do
esquecimento.
Há os que se conturbam nas trevas da obsessão a pedirem palavras de luz por drágeas de amor.
Há os que choram de saudade nos aposentos do coração, suplicando a bênção do reconforto.
Há os que foram mentalmente mutilados por desenganos terríveis, a suspirarem por recursos de apoio.
E há, ainda, aqueles outros que se envenenaram de egoísmo e frieza, desespero e ignorância, exigindo a terapêutica incessante da desculpa incondicional.
Ajuda, sim, aos doentes do corpo, mas não desprezes os doentes da alma, que caminham na Terra, aparentemente robustos, carregando enfermidades imanifestas que lhes consomem o pensamento e desfiguram a vida.
Todos podemos ser instrumentos do bem, uns para com os outros.
Não esperes que o companheiro se acame prostrado ou febril para estender-lhe esperança e remédio.
Auxilia-o, hoje mesmo, sem humilhar ou ferir, de vez que a verdadeira caridade, tanto quanto possível é tratamento indolor da necessidade humana.
Os emissários do Cristo curam os nossos males em divino silêncio.
Diante dos outros, procedamos nós igualmente assim.


Fonte: Ideal Espírita – Chico Xavier/Espíritos Diversos
imagem: google