- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 9 de dezembro de 2017

O PENSAMENTO I

                O pensamento não procede do cérebro. Este tem a função orgânica de registrá-lo e, vestindo-o de palavras, externa-lo, como por intermédio da arte nas suas incontáveis apresentações.
                O pensamento é exteriorização da mente, que independe da matéria e, por sua vez, é originada no espírito.
                O espírito possui a faculdade mental que expressa o pensamento em todas as direções, utilizando-se do cérebro humano para comunicar suas ideias com as demais pessoas.
                A primeira expressão do pensamento – fase inicial do processo da evolução orgânica e mental – é a primária, na qual a linguagem se apresenta de forma instintiva, sensorial, sem comunicação intelectiva, de natureza verbal e clara. São impulsos que decorrem das necessidades imediatas, buscando exterioriza-las e tê-las atendidas.
                Graças às heranças genéticas, ao processo de crescimento (filogenético) e aos fatores mesológicos/sociais, o ser passa para o pré-mágico, no qual a fantasia se apresenta em forma de imaginação rica de mitos que se originam no medo, nas aspirações de equilíbrio, de prazer – períodos da caverna, da palafita – para dar início aos cultos por meio dos sacrifícios humanos, como forma de aplacar a ira, a fúria dos elementos cruéis, os deuses da vingança, da inveja, do ódio, que lhe pareciam governar  vida, a natureza, o destino.
                Naturalmente, mais tarde, vem o período mágico, que se instalou na era agrária, dando origem às grandes civilizações do passado com toda a concepção politeísta, inspirada nos fenômenos que se enriqueciam de ideias mitológicas, muitas das quais, na tragédia grega, oferecem campo para as admiráveis interpretações psicanalíticas.
                A próxima fase foi a de natureza egocêntrica, caracterizada pela ambição de ser o alvo central de tudo que passa a girar em torno do interesse do ego em detrimento da coletividade, qual ocorre na criança.
                É inevitável o processo de crescimento mental e o pensamento faz-se logico, entendendo a realidade concreta da vida, os fenômenos e suas leis, interpretando o abstrato de maneira fecunda e raciocinando dentro de diretrizes equilibradas, fundamentadas na razão. A linha de raciocínio lógico exige a formulação de dados que facultam o estabelecimento de fatores para que a harmonia dos conteúdos seja aceita.
                Nessa fase, o pensamento se torna intuitivo, não necessitando de parâmetros racionais, extrapolando o limite dos dados da razão, por expressar-se de forma inusitada  no campo atemporal, viajando para a área da paranormalidade, das percepções extrafísicas.

AUTODESCOBRIMENTO: UMA BUSCA INTERIOR
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

Nenhum comentário: