- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 12 de maio de 2012

AFETIVIDADE

                Das formas míticas poderemos retirar a sabedoria dos séculos, porquanto tais histórias promovem encontros com as figuras arquetípicas de nossa alma e com o caminho do desenvolvimento do amor. Da Antiga Grécia nasceu a idéia das metades eternas, que percorreu a vastidão dos tempos.
                A mitologia greco-romana nos transmite, por meio de autores da Antiguidade, a seguinte história: em uma diferente civilização, os seres possuíam duas cabeças, quatro braços e pernas e dois corpos distintos – masculino e feminino – mas com apenas uma alma. Viviam em pleno amor e harmonia, e justamente esse equilíbrio provocou a inveja e a ira de alguns deuses do Olimpo. Enfurecidos, enviaram àquela civilização uma tormenta repleta de trovões e relâmpagos, que dividiram os corpos, separando a parte feminina da masculina e repartindo a alma ao meio. Diz a lenda que até hoje os seres lutam na busca de sua outra metade, a sua alma gêmea.
                Durante séculos, essa crença foi cultivada, e grande parte da humanidade ainda procura ansiosamente encontrar sua alma afim. No entanto, com a Nova Revelação, vêm os espíritos superiores esclarecer-nos a respeito do conceito das metades eternas, ensinando-nos que essa expressão é inexata e que não existe união particular e fatal entre duas almas.
                Explicam-nos os benfeitores que não há alianças predestinadas, e sim que, quanto mais iluminadas as almas, mais unidas serão pelos laços do amor real. Em vista disso, podemos entender perfeitamente o significado das palavras de Jesus Cristo: haverá um só rebanho, um só pastor.
                Um dia todos estaremos juntos, reunidos e plenificados uns com os outros em um só rebanho.
                O espiritismo vai mais além quando nos explica que a nossa mentalidade sobre as almas gêmeas é exclusivamente alicerçada sobre uma visão romântica de união afetiva; na realidade, antes de sermos homens ou mulheres, somos espíritos imortais vivendo temporariamente na Terra. Muitos possuem uma compreensão difusa e narcisista sobre o amor, o que faz com que interpretem sua afetividade somente abaixo da cintura, isto é, não conseguem desenvolver seus sentimentos, abandonando-o0s a um permanente estado embrionário.
                Não existe união particular e fatal entre duas almas. A união existe entre todos os espíritos, mas em graus diferentes segundo a categoria que ocupam, quer dizer, segundo a perfeição que adquiriram: quanto mais perfeitos, mais unidos.
                Estamos vivenciando inúmeras experiências terrenas com as mais diversas criaturas; conhecendo e, ao mesmo tempo, estreitando elos afetivos com outras tantas através de várias encarnações. Então, por que alimentarmos a idéia da busca ilusória de uma pessoa predeterminada, com a qual fatalmente viveríamos felizes pela eternidade juntamente com os outros tantos milhares de pares eternos que já se teriam encontrado anteriormente? Tudo isso mais se assemelha a um egotismo do amor, contrário à fraternidade cristã, que nos ensina que um dia todos se amarão de forma incondicional.
                Os aspectos do amor  não podem ser vistos como se nosso eu seja o único referencial e que qualquer coisa que não se enquadre em nosso modo de ser seja rotulada de desamor ou de não ser nossa metade eterna.
                Enquanto estivermos pensando dessa maneira, não amaremos verdadeiramente; estaremos, sim, criando uma idealização amorosa, na anciã de que os outros jamais ousem discordar de nosso ponto de vista. Em outras palavras, se alguém divergir da nossa opinião, teremos a certeza de que não é nossa alma gêmea e, por conseqüência, nunca poderá nos proporcionar o amor real, o que será um grande equívoco.
                Amar não significa esperar que alguém nos satisfaça todos os anseios e necessidades que cabe só a nós satisfazer.

Do livro: OS PRAZERES DA ALMA - uma reflexão sobre os potenciais humanos        
FRANCISCO DO ESPIRITO SANTO NETO/ESPÍRITO HAMMED

ImageChef Sketchpad - ImageChef.com

5 comentários:

LUCIENE RROQUES disse...

Muito bom seu espaço.
Vim lhe agradecer a presença.
Um grande abraço!

COLHENDO FLORES ENTRE ESPINHOS disse...

Obrigada pel visita tambem estou te seguindo
bjs e feliz dia das maes
juliana

Leonice disse...

Denise que texto maravilhoso, quanto esclarecimento nos dá sobre a tão procurada alma gêmea!
Gostei muito! Obrigada pelo ótimo post.
Desejo a voce um maravilhoso e abençoado dia das Mães.

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Denise minha irmã querida,

AMEI a postagem, muito esclarecedora!
Quanto mais nos aperfeiçoarmos expandindo nossa mente, aumentando nossa percepção sobre as verdades do Universo e iluminando nossas almas permitindo um crescimento interior, mais iremos nos conectando com irmãos que estão na mesma freqüência.
E cada vez mais vamos nos unindo nesta linda energia do Amor.

Quero aproveitar para lhe desejar um Domindo muito abençoado ao lado das pessoas que você ama!
Um Maravilhoso Dia para todas as Mamães!

Um grande beijo em seu coração!!!

Valéria disse...

Oi Denise!
Muita sábio! O coração que ama verdadeiramente é altruísta!
Beijinhos, um domingo abençoado e um feliz dia das mães!