- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 24 de julho de 2012

SOBRE A MORTE II


Como Encarnamos
A ligação do espírito com a matéria dá-se por meio do perispírito e faz-se desde a concepção.
                Ligado ao ovo, o perispírito vai servir de molde para a formação do corpo material, sendo utilizados nessa formação os elementos hereditários fornecidos por pai e mãe. As células multiplicam-se em obediência às leis da matéria em conformidade com a influência que o perispírito do reencarnante exerce.
                Quando o corpo apresenta condições de vida independente do organismo materno, dá-se o nascimento físico.

A Desencarnação
A carga vital, que havíamos haurido ao encarnar, um dia se esgotará, acarretando a morte física. Esse esgotamento ocorre por velhice, por excessos e desregramentos ou porque uma doença ou acidente danifiquem o corpo material de modo irrecuperável.
                Morto o corpo, vem o desprendimento perispiritual, que começa a fazer sentir seus efeitos pelas extremidades do organismo. Desatam-se os laços fluídicos nos centros de força, sendo o centro cerebral o último a se desligar.
                Às vezes, médiuns vêem o desprendimento dos fluídos perispirituais, que vão formando um outro corpo – o fluídico – acima dos agonizantes.

Por Que Temos de Morrer? Não Poderíamos Ficar Vivendo Para Sempre na Terra?
O objetivo do espírito não é permanecer no plano terreno. Seu ambiente natural e definitivo é o plano espiritual.
                O espírito encarna em mundos corpóreos para cumprir desígnios divinos. Deus quer que o espírito cumpra uma função na vida universal e, ao mesmo tempo, vá desenvolvendo-se intelectual e moralmente.
                Cada encarnação só deve durar o tempo suficiente para que o espírito cumpra a tarefa que lhe foi designada e enfrente as provas e expiações que mais sejam necessárias à sua evolução, no momento.
                Depois de cada encarnação, o espírito desliga-se da vida terrena e retoma o seu estado natural, que é o de espírito liberto.
                No intervalo entre duas encarnações, o espírito vive de modo muito mais amplo do que quando encarnado, porque o corpo lhe limitava um tanto as percepções e atividades espirituais.
                Então, avalia os resultados da encarnação que findou e prossegue aperfeiçoando-se espiritualmente na vida do além.
                Encarnará novamente, quando isso se fizer necessário e oportuno para a continuidade de seu progresso intelectual e moral e para o cumprimento da função que Deus lhe designar na vida universal.

AS MÃES DE CHICO XAVIER
Saulo Gomes (organizador)

x_3c9af6bf

4 comentários:

Ilca Santos disse...

Denise querida,
Que maravilha de postagem! Um texto excelente e edificante, nos trazendo ensinamentos tão valiosos para o nosso crescimento.
Vir aqui é aprender sempre! Obrigada!

Um beijo, amiga.

Leonice disse...

Que Matéria interessante Denise!
Muito boa.
Um grande abraço amiga! Uma semana de muita paz.

Vera Lúcia disse...

Olá Denise,

Belo trabalho você faz com este blog.
Bem edificante e informativo acerca da doutrina espírita.

Beijo.

ELAINE disse...

Ótimo post, com sábias orientações, como sempre! Seja bem-vinda de volta!
Quinta-feira, dia 26, tem post novo!
Uma abençoada e feliz quarta-feira!
Carinhoso abraço!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/