- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA III


Na adolescência, os sentimentos ainda não estão maduros e o desconhecimento da função sexual é total, o ato não corresponde à expectativa ansiosa do adolescente, que se sente defraudado, receando novas experiências, ou precipitando-se em outras tantas a fim de descobrir os encantamentos a que as demais pessoas se referem com entusiasmo e que ele não vivenciou.
A educação sexual, portanto, tem regime de grande urgência, ao lado de um programa de dignificação da função genésica muito barateada por personagens atormentadas, que se tornam líderes da massa juvenil, e que, fugindo dos próprios conflitos perturbadores, estimulam-lhes o uso desordenado. Outras vezes, mediante caricaturas perversas, procuram influir na conduta juvenil, massificando todos no mesmo nível de comportamento estranho e inquietador, deixando-os insaciáveis e cínicos, enquanto afirmam que a única função da vida é o prazer imediato, sendo o sexo a válvula de escapamento para a insegurança, a insatisfação emocional e o fracasso de que se sentem possuídos, mesmo quando se sentam nos tronos dos triunfos ilusórios que a mídia lhes proporciona, sem os realizarem interiormente.
A maternidade é o momento superior de dignificação da mulher, quando todos os valores do sentimento e da razão se conjugam para o engrandecimento da vida. Faltando, à adolescente, experiência e conhecimento dos valores existenciais durante a gravidez, o período é atormentado, sendo transmitido ao feto inquietação e desassossego, quando não a revolta pela concepção indesejada.
Raramente acontece o fenômeno da compenetração maternal, quando se trata de Espírito afim, que volve ao regaço da afetividade de maneira inesperada, recompondo o passado de lutas e desares, com que ambos se encontram nos caminhos do amor: mãe e filho.
A maternidade na adolescência é dos mais tormentosos fenômenos que o sexo irresponsável produz, face às conseqüências que gera.
Orientar o adolescente quanto aos valores do sexo, ante a vida e o amor, é dever que todos os indivíduos se devem impor, auxiliando a mentalidade juvenil a encontrar o rumo de segurança para a felicidade, sem as cargas aflitivas provindas da leviandade do período anterior.

ADOLESCÊNCIA E VIDA                                       
DIVALDO PEREIRA FRANCO/JOANNA DI ÂNGELIS       


x_3c9af347

3 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Pois é amiga Denise, os meios de comunicação no Brasil,às vezes, falam alguma coisa sobre a educação sexual, entretanto, a programação, de modo geral, passa uma ideia diferente, ou seja, a programação, de certa forma, estimula o sexo fácil e imediato.
Um abraço.

Donetzka Cercck Lavrak Alvarez disse...

Muito verdadeiro,Denise.

Essa gravidez não querida,uma criança gerando outra,é um dos maiores problemas que vejo atualmente.

Há de se orientar melhor.


Bjs e uma semana de Paz.

Donetzka

ValériaC disse...

É...gravidez na adolescencia é sempre muito delicado, não há prepara fisico, muitas vezes e quase sempre não há preparo emocional pra que a maternidade seja bem vivida.
Muita orientação é necessária, para que a maternidade venha num momento de maior maturidade da mulher, para que ela viva esta benção com mais preparo em todos os sentidos.
Beijos, feliz dia amiga,
Valéria