- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

PERGUNTAS

Observe as próprias indagações, antes de formulá‐las, adotando o silêncio sempre que não tiverem finalidade justa.

Valiosa demonstração de entendimento e de afeto visitar amigos ou recebê‐los sem perguntas quaisquer.

Ampare quantos lhes compartilham a vida, sem vascolejar‐lhes o coração com interrogatórios desnecessários.

Arrede da boca as inquirições sem proveito sobre a família do próximo.

Não faça questionários quanto à vida íntima de ninguém.

Entretecer apontamentos sem necessidade, com relação à idade física de alguém, não é apenas falta de tato e gentileza, mas também ausência de caridade e de educação.

Se você nutre realmente amizade por essa ou aquela pessoa, sem qualquer expectativa de tomar‐lhe a companhia para a convivência mais íntima, aceite‐a tal qual é sem pedir‐lhe certidão do estado civil em que se encontra.

Indiscrição, leviandade, curiosidade vazia ou malícia afastam de quem as cultiva as melhores oportunidades de elevação e progresso.

O amor verdadeiro auxilia sem perguntar.

Respeite as necessidades e provações dos outros, para que os outros respeitem as suas provações e necessidades.


Fonte: Sinal Verde – Chico Xavier/André Luiz
imagem: google

3 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Denise, se adotássemos, sem reservas, estes ensinamentos, daríamos um bom salto na trilha evolutiva.
Um abraço. Tenhas uma ótima semana.

Maysa disse...

MInha querida Denise tudo na paz?
sempe é tão bom ler e ler suas postagens , mas peço a Deus sempre me tornar melhor quando as leio, me vigio , fico triste comigo mesma quando ultrapasso com palavras muralhas que não deveria passar mas faz parte do aprendizado,
forte abraço
elisa

tesco disse...

Meu problema é o contrário do tema enfocado aqui:
Muito calado, devo ser interpretado, por vezes,
como desinteressado nas pessoas com quem converso.
Nem tanto ao céu, nem tanto à terra, né?
Beijos.