- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

TRANSTORNOS COMPORTAMENTAIS II

                                                                                                                        
Considerando-se o transtorno psíquico como de procedência do ser profundo, deve-se examinar o comportamento das pessoas que lhe foram vítimas, que se lhe fizeram corifeus ou participaram das veleidades nefastas, e teremos um quadro obsessivo, derivado daquelas mentes em desalinho, interagindo sobre a consciência culpada do reencarnado.
                As descargas mentais odientas penetram nas correntes nervosas dos neurotransmissores e estimulam a eliminação de substâncias excessivas ou provocam alterações escassas, significativas nos processos psicopatológicos.
                Além disso, nos momentos de parcial desprendimento pelo sono, o enfermo, subentendo-se, o devedor, reencontra suas vítimas, seus comparsas, e foge para o corpo, transformando as lembranças infelizes em expressões de pavor, que transfere para os estados de agorafobia, de compulsão obsessiva e outros.
                Reminiscências do sepultamento em vida – por estado cataléptico não diagnosticado – geram mecanismos claustrofóbicos aterrorizantes, alterando profundamente o comportamento do ser.
                Ademais, face ao nível de culpa, abrem-se as comportas da percepção e o paciente experimenta a captação de mensagens telepáticas dos adversários espirituais, aumentando-lhe o pânico íntimo, o distúrbio mental em relação ao equilíbrio, á realidade objetiva. Perde o direcionamento da conduta, o discernimento claro, as medidas do racional, e derrapa na alienação, que o afasta do processo mantenedor da experiência evolutiva.
                 Sem desconsiderar as causas geradoras dos transtornos comportamentais, tradicionalmente adotadas pelas ciências psíquicas, não se podem descartar as de natureza espiritual, que existem no paciente por imposição do fenômeno da reencarnação, como dos espíritos desencarnados, que se lhe vinculam através da sintonia vibratória que decorre dos processos de desvario cometidos entre eles.
                Em qualquer manifestação alienadora, quando causas endógenas ou exógenas são convocadas para a sua gênese, o ser espiritual é o responsável pela problemática, encontrando-se em processo de evolução moral, carecendo, porém, de ajuda afetuosa e dos contributos da ciência e do espiritismo para a conveniente erradicação do mal, através das terapias próprias e da renovação interior, passo decisivo para a sua recuperação.

Do livro: Do livro - AUTODESCOBRIMENTO UMA BUSCA INTERIOR
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis                                            

Glitter Symbols - ImageChef.com

4 comentários:

She disse...

Sempre interessantes os seus posts!
Beijo, beijo e excelente final de semana!
She

Élys disse...

Muitos são os casos de doentes que a medicina, nada pode fazer por desconhecimento do lado espiritual.
Tenha um bom fim de semana.
Beijos.

Marlene disse...

minha doce amiga Denise que linda mensagem de jOANA DE ANGELIS POR DIValdo Pereira Franco PARABENS POR ESTA ESCOLHA LINDA,UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA BJS MARLENE

eu, Lila Cassini disse...

Oi Denise, vim conhecer o seu cantinho. E encontrei um espaço enorme com muito aconchego. Um grande beijo, Lila