- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 18 de outubro de 2015

CASAMENTO E ESTILO DE COMUNICAÇÃO I

                O que define um bom acasalamento é a arte amorosa de articular bem as diferenças e as semelhanças, no contexto da cotidianidade.
                Portanto, podemos ter patologias da conjugalidade muito bem diagnosticadas, devido à forma como se desenha a transação afetiva.
                Quando o casal similar não consegue manter uma boa relação de interação, surge, então, a disfuncionalidade. Esta doença se configura pela disputa interminável, na qual cada parceiro busca, incessantemente, ultrapassar o outro, vencê-lo na competição conjugal. Estes casais fazem dos seus perfis parecidos, fonte de embates, habitualmente ansiando a afirmação de um sobre o outro, revelando dificuldades psicológicas ou morais.
                Assim, brigam acerca das competências e habilidades, disputando quem tem maior relevo e, igualmente, nas negatividades comuns à dupla, buscando escamotear o lado sombra, a fim de celebrar vitória sobre o outro. São comuns as expressões: sou menos egoísta, sou menos obeso, sou menos colérico, sou menos compulsivo, etc. Enfim, é como diz o brocardo popular: o sujo falando do mal lavado.
                Como causa desse modelo de comportamento está o orgulho sustentando a disputa. Não é verdade que não se amam. Amam-se, todavia, há uma ampla contaminação de orgulho que, com o tempo, ameaça destruir a relação afetiva, sufocando o amor.
                Quando, ao contrário, o casal similar articula adequadamente as suas semelhanças pela vias da humildade, desponta um movimento muito saudável na interação, definido por um apoio recíproco, altamente desejável para o crescimento de cada um dos membros do consórcio, e de excelentes resultados para a união do casal.
                Quando o casal complementar, humildemente, se decide a fazer das diferenças um espaço de respeito e troca de suas verdades, cria-se um enriquecimento na aprendizagem, ampliando o patrimônio intelecto-moral de cada um dos parceiros. De igual maneira, surge como conseqüência a qualificação da relação de acasalamento.


Fonte: CASAMENTO: A ARTE DO REENCONTRO – ALBERTO ALMEIDA
imagem: google

Nenhum comentário: