- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

APATIA II

                Elimina, do teu vocabulário, as frases pessimistas habituais, substituindo-as por equivalentes ideais.
                Não digas: não posso, não suporto mais, desisto. Faze uma mudança de paisagem mental e corrige-a por outras: tudo posso, quando quero, suporto tudo quanto é para o meu bem e prosseguirei ao preço do sacrifício, para a vitória que persigo.
                O homem transita pelos caminhos que elege, nos quais se compraz.
                A apatia é doença da alma, que a todos cumpre combater com as melhores disposições.
                Na luta competitiva da vida terrestre, não há lugar para o apático.
                Receando o labor bendito ou dele fugindo, mediante mecanismos de evasão inconsciente, a criatura se deixa envenenar pela psicosfera mórbida da auto-piedade, procurando inspirar compaixão antes que despertar e motivar o amor.
                Nos estados apáticos, dão-se início os processos de auto-obsessão quanto da submissão obsessiva a espíritos inconsequentes, que se comprazem em explorar, psíquica, emocional e organicamente os que se lhes fazem vítimas espontâneas...
                Reage com vigor à urdidura da apatia, do desinteresse.
                Ora e vence o adversário sutil, que em ti procura alojamento, utilizando-se de justificativas falsas.
                A lei do trabalho é impositivo das leis naturais que promovem o progresso e fomentam a vida.
                Não é por outra razão que a tradição evangélica nos informa: “Ajuda-te e o céu te ajudará”, conclamando-nos à luta contra a apatia e os seus sequazes, que se fazem conhecidos como desencanto, depressão, cansaço e equivalentes.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

Nenhum comentário: