- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 20 de outubro de 2010

EMOÇÃO E SENTIMENTO

A educação das emoções surge como resultante das vivências emocionais no campo do convívio e das relações interpessoais.

A emoção é uma reação afetiva, aguda e momentânea, de curta duração, com ou sem conseqüências somáticas, cuja ocorrência, na maioria das vezes, é de forma instintiva. O sentimento, mais complexo que a emoção, é uma configuração afetiva estável, de duração maior e que está associada a conteúdos psíquicos mais consistentes. O sentimento se constrói a partir de experiências ou reflexões conscientes que se associam a redes emocionais inconscientes.

O questionamento quanto às reações emocionais próprias e àquelas provocadas nos outros, permite o surgimento e o desenvolvimento da educação das emoções.

Parece-nos que o criador reservou às emoções um capítulo posterior à aquisição da razão quando idealizou a alma humana, o espírito. A integração da razão ao espírito é patamar necessário à educação das emoções, visto que estas elevam o espírito a um ponto mais próximo de Deus.

As emoções são o encontro da idéia com a energia impulsionadora da vida. Os pensamentos são a mesma idéia, porém já contaminada ou influenciada pelas emoções.

As emoções devem ser sentidas com equilíbrio e harmonia, pois nos facultam possibilidades de contato com as vibrações superiores do universo. É preciso aprender a vivê-las sem as limitações características da alma medrosa e intimidada pela racionalidade excessiva ou pelo dogma.

O sentir com o coração é o desabrochar para permitir-se a manifestação de Deus sob a forma mais sublime, percebendo que a vida é mais do que a racionalidade e a capacidade de escolher palavras para construir frases ou saber fazer conexões lógicas. As emoções equilibradas podem nos fazer conectar com as forças superiores do universo.

Deus parece que endereça o ser humano ao caminho da busca pelo seu equilíbrio emocional. Toda a cultura, todo o saber, toda a racionalidade, toda a sabedoria, bem como todo o intelecto, podem levar o ser humano a dar passos muitos largos em sua evolução, porém jamais o farão sentir a vida em sua beleza e sua generosidade. Por mais que conheça o mundo e o universo, ninguém chegará ao cume da evolução sem aprender a sentir emoções e a educá-las nas relações com seus semelhantes.

Toda a construção humana deve ter seu sentido voltado para a felicidade, e esta é alcançada no equilíbrio e na harmonia do mundo interior das emoções do espírito.

O espírito é livre para manifestar-se e viver a própria vida que estruturou para si. A conquista do livre arbítrio torna-o eternamente responsável pelas construções emocionais que abriga em si mesmo e pelas que fomenta nos outros. Os sentimentos são produtos que se constroem a partir da complexa união de experiências vividas ao longo da trajetória evolutiva. Não são simples momentos em que nos permitimos extravasar a energia reprimida. São frutos de construções onde se misturam idéias, símbolos, complexos, desejos, vontade, sexo, poder, etc. Eles nascem do fundo da alma e trazem seu histórico milenar. Educá-los é o mesmo que organizar o próprio passado, colocando-o a serviço do presente, na direção do futuro.

As conexões emocionais são matéria prima da psique. São elas que contêm nossa força propulsora para a felicidade.

Do Livro : PSICOLOGIA DO ESPÍRITO


Adenáuer Novaes

Um comentário:

Jorge (Nectan) disse...

Ainda não li este livro.
Parece-me ser um excelente livro pois, neste teu post, ele é claro e sucinto.
E é um assunto muito amplo pois comentar sobre sentimentos e emoções requer muito "espaço". E é um assunto apaixonante.

Obrigado, minha amiga, por compartilhar este texto.

Beijo!