- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

SAUDADE

            A saudade é um sentimento comum a todo o ser humano, muito embora as expressões variem nas diversas culturas. Embora a palavra possa não ter tradução em outras línguas, o mesmo não ocorre com o sentimento que está presente na alma humana. Sentir vontade de ver outrem, de tocar, de conversar, de presentear, de conviver, bem como de amar  é típico desse sentimento.
            Ela permite que o espírito restabeleça seu referencial de vida e que recupere as emoções e sentimentos vividos com o outro. As emoções e sentimentos elaborados na convivência quando a saudade ocorre. Basta que algo que lembre o outro apareça à consciência, ou mesmo de forma inconsciente, para que a saudade retorne.
            A saudade é uma espécie de formação de um conjunto de outros sentimentos que tomam o indivíduo, às vezes de forma abrupta e inconseqüente. É uma reação emocional às exigências internas de conectar-se com o que existe no outro que proporciona felicidade e contentamento. Os mecanismos de defesa da projeção e da transferência permitem que a saudade assuma a consciência.
            Ela está presente no psiquismo perispiritual e permite que o ser, quando a satisfaz, recupere energias e recomece nova trajetória de crescimento. Quando ela não é satisfeita, costuma levar o indivíduo a um padrão de falta e desconexão a si mesmo. Na impossibilidade de atendê-la deve o indivíduo, além de relembrar os momentos de contato com o outro, trazer à consciência a energia positiva que o outro lhe proporcionou.
            Ela pode ser ativada pela carência e pela solidão, o que poderá tornar, quando não satisfeita, difícil a liberação da energia positiva desejada.
            Nos casos em que o outro se encontra no mundo espiritual ou, quando encarnado, em local incerto ou impossibilitado de estabelecer a conexão desejada, o melhor a fazer é voltar-se para si mesmo e estabelecer outro foco de interesse e atenção.
            Às vezes sentimos saudade de casa sem sairmos dela. É uma saudade de um lugar que não sabemos onde se localiza, de pessoas que desconhecemos, de emoções que não reconhecemos, de situações nunca vividas. É um sentimento de saudade que nos chega, em alguns momentos, de algo incerto, como se estivéssemos sendo chamados à pátria espiritual. É a saudade de estarmos na posse plena de nossas capacidades espirituais. Sentir essa saudade pode ser um importante momento para que nos conectemos a Deus através da oração.

Do livro: PSICOLOGIA DO ESPÍRITO

Adenáuer Novaes

Um comentário:

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

Denise: Parabéns! pelo blog e trabalho. O caminho é esse. Siga em frente. grato pela visita e comentário. MT PAZ!!! Abrçs. Roy Lacerda.