- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 1 de janeiro de 2011

VAZIO EXISTENCIAL III

Terapia Libertadora

            A pessoa vazia, aquela que perdeu a identidade e  deixou de seguir na busca dos objetivos que constituem as motivações seguras para existir e realizar atividades existenciais, passa por uma tormentoso processo de desgaste emocional.
            A perda do si, pode ser resolvida mediante a mudança de atitude racional e emocional para com a oportunidade existencial.
            Eis por que a fé religiosa, o sentimento de humanidade, o respeito social, a vinculação idealista a qualquer expressão dignificadora do ser humano, tornam-se referências que se convertem em estímulos para não se perder o significado psicológico interior.
            Passando-se do absurdo da fé cega e autoritária para a indiferença espiritual do ser em si mesmo, as condutas anárquicas e irresponsáveis assumiram a liberação daquilo que antes era castração, produzindo males equivalentes, que ora consomem o ser social perdido na confusão do nada a perseguir.
            Por meio da reflexão, o indivíduo que vislumbra a eternidade, descobre-se conforme o é e quanto poderá fazer-se em benefício próprio, a fim de alcançar níveis mais grandiosos e compensadores, que lhe estão destinados pela própria vida.
            No período de angústia e ansiedade, em face da dificuldade de identificação de metas e de compromissos, necessita de assistência psicanalítica ou psicológica, a fim de diluir a ansiedade e os conflitos gerados.
            A assistência orientadora irá auxilia-lo na liberação dos medos e culpas, das frustrações e mágoas, ensejando-lhe a indispensável motivação para prosseguir, facultando-lhe novos cometimentos satisfatórios.
            A busca do si, através da meditação e da prece, facultar-lhe-á insight valioso para compreender quanto lhe está reservado e, momentaneamente se encontra defasado.
            A conduta mental em outras ondas de pensamento, proporcionar-lhe-á a identificação com entidades benfeitoras que inspiram decisões e condutas saudáveis.
            Cada ato bem conduzido oferece a compensação do resultados exitoso.

Do livro: CONFLITOS EXISTENCIAIS

Divaldo Pereira Franco/Joanna de Angelis

Um comentário:

(בן ברוך) Ben Baruch disse...

Querida Denise!
Foi uma honra ter recebido sua visita em nosso humilde “Na Dimensão do Espírito”, por deixar seu enriquecedor comentário e por tornar-se seguidora.
Espero que você volte outras vezes, não esquecendo é claro, de nos brindar com seus comentários, pois edificarão a todos que nos acompanham.
Quantas pessoas encontram-se nesse estado de hibernação existencial. Sentindo-se vazias, elas não conseguem contemplar as belezas que a vida e as experiências lhes proporcionam. Creio que uma das formas de preencher esse vácuo que se formou é olhar para os nossos semelhantes e enxergar neles os valores positivos que possuem. Isso nos ajudará a ver em nós o que nos falta e a perceber também o que temos de bom para compartilhar com os que nos cercam.
Com certeza a terapia libertadora começa em nós mesmos. Joanna de Ângelis diz que “O homem que ama, a si mesmo se ama, tolerando-se e estimulando-se a novos e constantes cometimentos cada vez mais amplos e audaciosos no bem.”
Que o Senhor nos conceda sabedoria para enxergar em nós mesmos as possibilidades que termos uma vida plena e realizadora.
Que 2011 seja repleto de bênçãos materiais e espirituais em sua vida e na de todos que compartilham da sua companhia e caminhada.
Muita paz!
Ben Baruch