- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 25 de outubro de 2014

ESPÍRITAS: AO CAMINHO!

                Pouco tempo após a crucificação de Jesus, relacionado ao apóstolo Tiago. Conta-se que, certo dia, o discípulo encontrava-se meditativo e acabrunhado, por discordar das tarefas exercidas por Pedro, na Casa do Caminho, até que, num dado instante, vive uma maravilhosa e fascinante experiência. Tiago divisa, ao longo do caminho, o vulto de Jesus se aproximando. Com as energias redobradas pela magnífica visão, experimenta um júbilo indescritível e acredita que o Mestre vinha ao seu encontro. Postou-se ao largo da estrada e, ansioso, aguardou que o Mestre o interpelasse. Ledo engano. Percebeu que o Celeste Amigo não deteria seus passos silenciosos e demonstrava que estava a caminho. O encontro com Tiago não era o objetivo de sua caminhada. Quando percebeu isso, o apóstolo, atônito, o interpelou: “Senhor”. E obteve como resposta: “Tiago, eu vou à Casa do Caminho, ajudar Pedro”. Duas situações, uma mesma consideração. Não basta conhecer o evangelho de Jesus. Ele pouco valerá se não estiver acompanhado de ações, de obras. Como Tiago, precisamos entender que o imperativo da doutrina cristã é o serviço desinteressado aos semelhantes, e, de imediato, precisamos os pôr a caminho e acompanhar o Mestre, demonstrando com nossas atitudes que compreendemos a grandeza dos seus ensinamentos.
                Por intermédio de seu acurado processo de Codificação, Allan Kardec aponta a necessidade de não apenas sorvermos os ensinamentos, mas buscarmos interpretar, em Espírito e Verdade, a mensagem augusta do meigo rabi da Galiléia. O tempo urge, as horas passam, e devemos preocupar-nos com as tarefas que nos foram confiadas, com o campo que temos de arar e semear. Para tanto, nos secundam valorosos tarefeiros do Plano Espiritual, que se põem na seara a nos fortalecer para o trabalho. Não há tempo para tolas discussões. O momento é de trabalho. Tem gente que acha que espiritismo é só doutrina, só estudos. Outros ficam querendo saber quem é Emmanuel ou André Luiz hoje. Muitos companheiros chegam até a defender a extinção dos serviços assistenciais das entidades espíritas nas comunidades carentes, sob a alegação de que não devemos praticar o assistencialismo, quando na verdade as Instituições praticam, além das atividades de assistência social, também a de promoção humana.
                Que pena! Não entendem que Jesus também está nos dizendo: “Ide e anunciai o Evangelho. Lancem-se ao trabalho, pois o mundo reclama caridade para com todos”. Na época dos tablets e smartphones, das ressonâncias magnéticas e da cirurgias robóticas, ainda jornadeia o fantasma da fome dizimando milhões de irmãos. Sabemos que é o nosso orgulho que tem condenado homens, mulheres e crianças à miséria e prostituição, multiplicando antros de criminalidade e grassando desespero. Por isso, não há tempo para se lançar pérolas aos porcos. Na medida do talento de cada um, na proporção das nossas possibilidades, precisamos seguir o caminho do Mestre e socorrer os famintos e acender a chama da fé nos corações angustiados, honrando, assim, as luminosas tarefas que nos identificam como modernos apóstolos de Jesus.
                “Tiago, eu vou à Casa do Caminho”. Entendamos a advertência do Mestre. Frequentemos as nossas reuniões de estudo. Vamos nos debruçar sobre o Pentateuco espírita, vamos reler as obras de André Luiz; vamos relembrar os ensinamentos de Emmanuel e de tantos outros. Sim, é preciso estudar, pesquisar, indagar, refletir, em síntese, analisar as mensagens e estabelecer, entre nós, a conversa franca sobre nossas dúvidas, identificando os possíveis enganos e omissões em que, por vezes, temos permanecido. Entretanto, sejamos o colo da mão para os filhos tristes e desesperançados. Não esperemos Cristo no caminho para um simples bate-papo. Sigamos ao seu lado, no bom combate, dissolvendo a névoa da ignorância com o fulgor da Luz Divina. As vitórias no caminho são conquistadas com suor e lágrimas que derramamos pelos outros. Emmanuel, através de Chico Xavier, nos adverte que “o nome de Jesus está empenhado em nossas mãos”.

Orlando Ribeiro

Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – julho/2014
imagem: google

Nenhum comentário: