- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 1 de agosto de 2015

JESUS, MESTRE, GUIA E MODELO I

                Nem todas as pessoas, mesmo ligada a uma doutrina religiosa, conhecem realmente Jesus e seu significado para o homem e a humanidade. Envolto em mistérios, explicações místicas, debates históricos e confundido, muitas vezes, com Deus, Ele permanece distante do corintiano da vida, quando, na verdade, deveria estar presente nos corações e nas mentes de todos nós. O espiritismo, no devido tempo, como Consolador Prometido, veio desmistificar Jesus e revelar realmente quem Ele é, sua missão e sua importância.
                Mas antes do espiritismo, o próprio Jesus revelou-se, como transcrito pelo apóstolo Mateus e seu Evangelho:
“E veio Jesus para os lados de Cesareia de Felipe, e interrogou seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que é o Filho do Homem? Eles responderam: uns dizem que é João Batista, mas outros que é Elias, e outros que Jeremias ou algum dos Profetas. Disse-lhes Jesus: E vós, quem dizeis que sou eu? Respondendo, Simão Pedro disse: Tu és o Cristo filho do Deus vivo. E respondendo Jesus lhe disse: Bem-aventurado és, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que te revelaram isso, mas sim meu Pai, que está nos céus”. (Mateus 16:13-17)
                A designação “Tu és o Cristo” significa que Jesus é o Messias, o Ungido, aquele que é Abençoado por Deus, o Enviado Divino. A palavra Cristo é um título, portanto Ele confirmou que era aquele anunciado pelos antigos profetas judeus, daí também nos referirmos a Ele como Jesus, o Cristo, ou seja, Jesus, o Messias, ou ainda Jesus, o Enviado. O termo Cristo teve origem nas traduções gregas dos evangelhos, que precisarem interpretar várias palavras e expressões hebraicas a respeito de Jesus.
                Jesus, o mestre – Em seus magistrais diálogos com as pessoas, quando nunca perdia o ensejo de ensinar, Jesus recusou todos os títulos que lhe quiseram outorgar, aceitando apenas o de Mestre, porque, de fato, era essa sua missão na Terra: ensinar os homens sobre a lei divina, a realidade imortal da vida, o amor como fonte de tudo o que existe e fonte também das relações humanas.
                Na questão 625 de O Livro dos Espíritos, recebemos a informação que Jesus é o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e modelo. Essa informação é corroborada pela universalidade do ensino dos espíritos que, através de diversos médiuns, em datas e locais diferentes, estabelecem Jesus como espírito perfeito e governador planetário.
                Apesar da sua grandiosidade Jesus mantém-se próximo a cada um dos seus irmãos em humanidade, quer estejam encarnados ou desencarnados, pois suas marcas são o amor e a humildade, a benevolência e a solidariedade. Por isso sempre esteve no meio da multidão, ensinado na praça pública, atendendo os necessitados do corpo e da alma. E assim continua, velando por todos.

(continua)

Marcos de Mário


Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – novembro/2014
imagem: google

Nenhum comentário: