- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 4 de junho de 2013

EVOLUÇÃO DA ALMA ANIMAL

Como podemos criar um animal doméstico sem que ele perca seus instintos?
            Os animais estão conosco há mais de dez mil anos. Os cães foram os primeiros a se aproximar de nós em uma espécie de troca de favores. Eles nos avisavam da aproximação de inimigos e nós os protegíamos e os alimentávamos. Desde que a civilização avançou, os cães tornaram-se apenas companhia e não ocorreu mais aquele tipo de troca que existia no começo. Estabeleceu-se entre eles e nós um laço de confiança e de certa forma de dependência. Eles ficaram se opções. Ou ficam conosco ou morrem e forme e frio pelas ruas de nossas cidades, porque não são mais animais selvagens e não caçam para viver. Dependem de nós que os tiramos do seu meio natural e agora há muitos que são abandonados. Por causa deste convívio e dessa dependência, perderam muito de seus instintos de sobrevivência. No entanto, já que não poderão novamente se tornar selvagens e voltar às florestas de seus ancestrais, precisamos auxiliá-los a continuar em sua escalada e o controle de parte destes instintos faz parte deste aprendizado. O convívio conosco não foi obra do acaso. Fomos aproximados, uns dos outros, para ajudá-los na evolução. Auxiliá-los a dominar seus instintos. Ser doméstico é contrário a ser selvagem. Se o animal for doméstico não é mais selvagem e, portanto, seus instintos já estarão diminuídos. No entanto, eles não são seres humanos. Não podemos impor a eles um comportamento idêntico ao nosso nem podemos exigir deles algo que está fora de seu alcance, pois isso os confundirá. Trate seu animal como animal, mas sempre o trate com respeito.


Fonte: A Espiritualidade dos Animais – Marcel Benedeti


x_3c9af347

Nenhum comentário: