- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

SOLIDÃO I

             
               Nem sempre a solidão pode ser encarada como dor ou insânia. É, em muitas ocasiões, períodos de preparação, tempos de crescimento, convites da vida ao amadurecimento.
                O âmago do ser está intimamente ligado ao bem, á virtude e à religião. É justamente nas épocas de solidão que conseguimos a motivação necessária para estabelecer a verdade sobre esse fato.
                Na solidão, e que encontramos sanidade para nosso mundo interior, respostas seguras para nossos caminhos incertos e nutrição vitalizante para os labores que enfrentamos em nossa viagem terrena.
                Nestes nossos apontamentos sobre a solidão, não estamos nos referindo à tristeza de estar só, mas sim, necessariamente, à quietude íntima, tão importante e saudável para que façamos um trabalho de autoconsciência, valorizando as nuances de nossa vida interior.
                Muitos indivíduos vivem dentro de um ciclo diária estafante. Realizam suas atividades num ambiente de competitividade, agitação, pressa e rivalidade, vivendo em constante tensão psicológica e, por conseqüência, alterando suas funções fisiológicas. Por viverem num estado de cansaço e desgaste contínuos, não conseguem fazer uma real interação entre o meio ambiente e seu mundo interno, o que ocasiona sérios problemas de convivência e inúmeros conflitos pessoais.


Do livro: As Dores da Alma – Francisco do Espírito Santo Neto/Hammed


x_3c9af347

Um comentário:

tesco disse...

Tenho obtido "respostas seguras" sem estar enfrentando solidão.
Que bom, né?
Ou então estou fazendo poucas perguntas. Risos.
Beijos.