- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

CICLOTIMIA I

           
                Sem a necessidade de discussão, os problemas com nosso humor são responsáveis por grande parte das nossas queixas, principalmente as sem razão clara, ou seja, provenientes de acontecimentos que realmente ocorreram.
                Simplesmente ficamos de cara feia para os acontecimentos da vida e daí a diante tudo é uma catástrofe.
                A falta de humor corrói qualquer relacionamento até mesmo o íntimo, aquele que vem de nós para nós mesmos.
                A ciência definiu até uma terminologia específica para as pessoas que possuem uma variação expressiva de humor. Patologicamente são chamadas de ciclotímicos.
                Em psicologia, o indivíduo poderia ser definido como ciclotímico por possuir um temperamento sujeito a variações intensas de humor: alegria e tristeza, euforia e angústia, serenidade e tensão. Tem períodos de grande energia, confiança, exaltação, alternados com aflições. Muita disposição e iniciativas hoje; amanhã  temores e inibições.
                Esta instabilidade emocional expressa pelo humor é passível de tratamento como tudo, entretanto, cabe ao indivíduo reconhecer-se assim, ou seja, apenas poderemos ficar livres dos problemas que temos consciência que possuímos. Identificar esta alteração impõe a aquele que sofre a obrigação moral de buscar educar-se, afinal, um desequilíbrio desta natureza consome grande parte de nossa vitalidade.
                Muitas vezes, o acúmulo inconsciente de lixo mental serve de estímulo para estas variações, situações vividas e que, ao invés de resolvê-las dentro de nós, fazemos esquecer enquanto que, na verdade, elas prosseguem existindo e nos influenciando, surgindo nos momentos de menor vigilância.
                Se não ocuparmos nossos pensamentos com o que é respeitável, justo, puro, amável, carregaremos sempre conosco fantasmas emocionais, literalmente assombrando nossa casa mental. Liberte-se deles, resolva os problemas e os que estiverem além de suas forças, se é que alguma coisa está, confia em Deus.

(continua)

Do livro: Terapia Antiqueixa – Roosevelt Andolphato Tiago
imagem: fraterluz.blogspot.com


4 comentários:

Élys disse...

É preciso realmente cuidar desta variação de humor para se levar uma vida mias tranquila.
Beijos.

Dilmar Gomes disse...

Amiga Denise, não fiques preocupada por não conseguir comentar no meu blog. Por vezes também não consigo comentar em alguns blogs. Quanto a este post, quero dizer que admiro sobremaneiras as pessoas que estão sempre bem humoradas. Algumas, inclusive, em momentos não muito bons, se esforçam, e conseguem passar uma mensagem de carinho, amizade e civilidade através do olhar, da palavra, dos gestos...
Um abraço. Tenhas um dia de paz.

tesco disse...

Variações de humor são incontornáveis, o cotidiano sempre acusa sua presença e, consequentemente, nos influencia.
Mas deixar-se conduzir pelas circunstâncias, com variações intensas de humor, só pode nos trazer prejuízo.
As mensagens espíritas coibem essa variação nociva, renovando-nos a mente.
Porém, se não bastar, sugiro a audição de peças musicais de Bach, Beethoven, Mozart e Vivaldi:
São um bálsamo insubstituível.
Beijos.

AnnaHime disse...

Adorei o seu blog!!! Continue assim, selecionando textos maravilhosos que nos ajudam a compreender a vida.