- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 30 de novembro de 2014

EUTANÁSIA EM ANIMAIS

Pergunta - Meu cachorrinho sofria de insuficiência renal crônica, um tumor no testículo e inflamação crônica na coluna. Decidimos pela eutanásia, mas me sinto culpada desde que vis seu corpinho sem vida. Queria saber se o espírito dele já está livre das dores que o corpo terreno lhe proporcionava. Queria ter certeza de que ele está bem e feliz?
Resposta - As equipes espirituais, que se encarregam dos animais se esmeram em evitar que sofram desnecessariamente. Quando desencarnam, eles imediatamente se veem livres das dores que lhes provocavam sofrimento. Eles são tratados de modo a eliminar as dores e corrigir as formas corporais e fisiologia corporal (corpo espiritual) antes de serem enviados à reencarnação ou trabalhos voluntários ao lado dos espíritos. Quando encaminhados à reencarnação, seus corpos são reconstituídos e preparados para a miniaturização que antecede o retorno ao mundo físico. Nesse processo, todo o sofrimento evidente nos momentos que antecederam o desligamento (em decorrência da própria enfermidade) desaparece para dar lugar a um corpo sadio e perfeito em que não há mais dores e sofrimento. No entanto, no caso de morte provocada sem as devidas providências preventivas as consequências são diferentes. Quando no desligamento não foi usada anestesia e substâncias tóxicas causaram lesões ao corpo espiritual, as equipes espirituais têm mais trabalho em recuperar a saúde do animal lesado e o sofrimento é maior também. E prolonga-se porque o desligamento entre o corpo físico e o espiritual é mais lento. Nesse caso o animal mantém a consciência por mais tempo, permanece ligado ao corpo físico por mais tempo, mas mesmo assim o alívio é imediato quando as equipes o desligam em definitivo. Então, em geral, são tornados inconscientes e permanecem em estado de suspensão. Algumas vezes têm permissão para ficar acordados durante o processo de desligamento e após também. Uma vez desligados, o sofrimento desaparece e a felicidade toma o lugar da dor. Se a eutanásia foi feita por uma pessoa que evitou a dor, então ele nada sentiu e somente encontrou a felicidade no outro lado da vida.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

Um comentário:

Tais Luso disse...

Olá, Denise, vi essa sua postagem dentro do meu blog. Entendo essa sua preocupação e sua dor. Sempre tivemos animais. Um deles, ceguinho, já com 19 anos tivemos que sacrificá-lo para não deixar sofrer. A segunda morreu em casa, no meu colo, com muito carinho. Achei que o importante é não deixar o bichinho sofrer, eles não merecem. Claro que ficamos todos abalados por meses, tristeza total. Mas meu conforto e de minha família foi ter proporcionado tudo para esses animais que nos deram tanto amor. Não sei se meu depoimento poderá ajudar você um pouquinho, mas é de coração.
Grande abraço.