- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 4 de outubro de 2016

O PERDÃO ÀS PESSOAS ESTRANHAS

                As vibrações que enviamos retorna na mesma velocidade que foram. Se enviarmos ódio, críticas, mágoas, isto se volta contra nós mesmos. Quando nos reunimos para falar mal dos homens de vida pública, artistas ou pessoas conhecidas, uma nuvem de energia escura se faz em torno de nós.
                Esta nuvem contém elementos energéticos negativos, doentes que, com o tempo passam a nos contaminar trazendo inicialmente alteração no humor. Ficamos mais agitados, inquietos, sem ter um local que nos acomode. Se nos avaliarmos, vamos perceber que ficaremos mais agressivos com as pessoas que nos procurarem, o que nos trará prejuízos pois ofenderemos pessoas amadas.
                O lixo mental acumulado durante o diálogo terá sua catarse à noite, com insônia ou constantes pesadelos que nos acordarão durante a madrugada, ou fará com que acordemos com a sensação de cansaço dando a impressão de que não dormimos. Aos poucos isso começará a afetar a nossa saúde física, promovendo o surgimento de estresse e de ansiedade, entre outros.
                Os diálogos acalorados de crítica ás pessoas estranhas serão alternados por momentos de pessimismo ao percebermos que não podemos fazer nada contra aquele a quem criticamos. Tal pessimismo, naturalmente, alterará o funcionamento do nosso organismo biológico provocando a redução da formação dos hormônios necessários à proteção contra doenças.
                 A redução destes hormônios nos deixará sujeitos à depressão que, por conseqüência, nos reduzirá a vontade de viver. Jesus nos convida a viver no mundo sem ser do mundo, ou seja, não nos deixar contaminar pelos escândalos que o mundo nos oferece.
                Perdoemos as pessoas estranhas tendo um olhar mais compassivo e menos condenador, pois sabemos que o nosso teto é de vidro e se estivéssemos no lugar dessas pessoas, talvez, não faríamos diferente.
                A vida merece muito mais de nós do que a fixação do mal alheio. Fixemo-nos no bem e perceberemos o quanto a felicidade nos rodeia.


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google

Um comentário:

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde, querida Deniese
Reconheço que é muito mais fácil perdoar um estranho ou não menos íntimo pois a decepção é bem menor... mas Jesus nos dá a graça!
Bjm muito fraterno