- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

CORAGEM II

Desenvolvimento da Força e da Virtude da Coragem
            A virtude da coragem tem lugar no momento em que o indivíduo liberta-se da proteção familiar, da segurança do lar, atravessando os diferentes períodos da adolescência e entrando na fase adulta, tendo que assumir responsabilidades.
            Nesse período é inevitável a aquisição da auto-consciência que deflui dos tentames contínuos para a identificação da própria realidade, para a conquista do self, abandonando os artifícios e mecanismos de fuga da responsabilidade, de modo a suportar os enfrentamentos que se impõem necessários.
            O desenvolvimento biológico sempre faz-se acompanhar pelo crescimento psicológico, no entanto, muitas áreas da emoção permanecem dependentes das circunstâncias anteriores, do protecionismo recebido na família, dos pais e mais velhos que procuraram poupar das adversidades, dos conflitos, das lutas da evolução o jovem em crescimento.
            A coragem apresenta-se equipando o ser em busca da realização pessoal, mediante a seleção de valores de que se deve munir para seguir no rumo das metas que elegerá na sucessão do tempo.
            Atado a imposições sociais, educacionais, tradicionais, não raro perde-se em conflitos desnecessários, gerando comportamentos de medo, de ansiedade e de insegurança, que se tornam verdadeiras cadeias retentivas na retaguarda.
            Necessário coragem para analisar com tranqüilidade cada fase da existência física, como parte do processo de crescimento inevitável que culmina na morte orgânica incapaz de extinguir a vida.
            Nesse processo de evolução a coragem assume diferentes aspectos, proporcionando relacionamentos saudáveis que são indispensáveis para o desiderato feliz.
            Todos necessitam de coragem fraternal para a convivência, resultando em vínculos de amizade profunda, capazes de resistir às agressões e  discordâncias que têm lugar nos comportamentos humanos.
            Insistir nos bons sentimentos da amizade, na procura dos relacionamentos afetivos na área do amor sexual, livrando-se dos conflitos de qualquer natureza, com a coragem de auto-superação, constitui uma das metas a alcançar na busca da saúde plena.
            Dispondo-se ao crescimento interior e à realização social e familiar, nos negócios e nos empreendimentos profissionais, o indivíduo necessita dessa coragem dinâmica, criativa e fortalecedora que não esmorece diante do aparente fracasso, por entender que toda conquista é portadora de um preço específico.
            A coragem é um ato de bravura moral. Nunca se deve alguém acovardar diante dos enfrentamentos, que são a fonte estimuladora do crescimento espiritual.
            O ser humano possui reservas de força moral quase inconcebíveis, desde que estimuladas pelas ocorrências.
            A coragem pode assumir também um outro delicado e sutil aspecto no comportamento humano, qual seja, criar, oferecendo beleza através da arte, da cultura, da religião, da bondade, da  solidariedade.
            Quando falta essa virtude no indivíduo, que parece haver-se cansado de trabalhar em favor dos ideais e da construção do grupo social melhor, pode-se considerar que essa conduta se firma numa acomodação covarde ante os impositivos do progresso. Sentindo-se compensado pela vida, avançado na idade, considerando a proximidade da morte, não sente mais interesse em ampliar as possibilidades de felicidade geral, derrapando no obscurantismo, na indiferença, deixando de viver plenamente, porque elegeu apenas o momento que passa.
            A coragem de lutar não espera compensação de qualquer natureza. Mesmo quando a morte do corpo se aproxima, o homem de coragem prossegue na sua faina de oferecer exemplos e contribuições que felicitam aqueles que vêm na retaguarda e avançam confiantes na contribuição daqueles que os precedem pelos caminhos da inteligência e do sentimento.
            Coragem é mais que destemor ante perigos, é a conquista da autoconsciência que faculta a segurança nas possibilidades e nos meios valiosos de prosseguir na conquista de si mesmo.

Do livro: CONFLITOS EXISTENCIAIS

Divaldo Pereira Franco/Joanna de Angelis

Um comentário:

Pris Benedetti disse...

Belo texto minha querida!
Necessitamos de coragem em cada dia de nossas vidas, amor, afeto e compreensão nos ajuda a ter coragem para enfrentar os obstáculos de cada dia.

Uma bela terça pra ti!

Beijinhos