- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 17 de agosto de 2013

AS MISSÕES, A VIDA SUPERIOR


Todo espírito que deseja progredir trabalhando na obra de solidariedade universal recebe dos espíritos mais elevados uma missão particular, apropriada às suas aptidões e ao seu grau de adiantamento.
Alguns têm por tarefa acolher os espíritos em seu retorno à vida espiritual, guiá-los, ajudá-los a se desprenderem dos fluidos espessos que os envolvem; outros são encarregados de consolar, instruir as almas sofredoras e atrasadas. Espíritos de químicos, físicos, naturalistas, astrônomos, prosseguem em suas pesquisas, estudam os mundos, suas superfícies, suas profundezas ocultas, atuam em todos os lugares sobre a matéria sutil, que fazem passar por preparações, modificações destinadas a obras que a imaginação humana teria dificuldades em imaginar. Outros se aplicam às artes, ao estudo do belo sob todas as suas formas.
Espíritos menos evoluídos auxiliam os primeiros em suas tarefas variadas e lhes servem de auxiliares. Um grande número de espíritos se consagra aos habitantes
da Terra e dos outros planetas, estimulando-os em suas pesquisas, fortalecendo os ânimos abatidos, guiando os hesitantes pelo caminho do dever. Aqueles que praticaram a medicina e possuem o segredo dos fluidos curativos, reparadores, ocupam-se mais especialmente dos doentes.
A mais bela de todas as missões é a dos espíritos de luz. Vêm dos espaços celestes para trazer à humanidade os tesouros de sua ciência, de sua sabedoria, de seu amor. Sua tarefa é um sacrifício constante, porque o contato dos mundos materiais é penoso para eles; porém, encaram todos os sofrimentos por dedicação aos seus protegidos, a fim de assisti-los em suas provas e infiltrarem no coração deles grandes e generosas intuições.
É justo atribuir-lhes esses clarões de inspiração que iluminam o pensamento, esses desafogos da alma, essa força moral que nos sustenta nas dificuldades da vida. E quanto mais esses seres espirituais se elevam, mais sua tarefa se acentua, mais suas missões aumentam de importância.
Para o espírito mais inferior, assim como para o mais importante, o domínio da vida não possui limites. Seja qual for a altura a que tenhamos chegado, sempre há um plano superior a ser alcançado, uma nova perfeição a ser realizada. À medida que ela vai se distanciando das esferas inferiores, onde reinam as influências pesadas, onde se agitam as vidas grosseiras, banais ou culpadas, as existências de lenta e penosa educação, a alma vai percebendo as altas manifestações da inteligência, da justiça, da bondade e sua vida se torna cada vez mais bela e divina. Os murmúrios confusos, os ruídos discordes dos centros humanos vão pouco a pouco se enfraquecendo para
ela, até se extinguirem por completo; ao mesmo tempo, começa a perceber os ecos harmoniosos das sociedades celestes. É o limiar das regiões felizes, onde reina uma eterna claridade, onde paira uma atmosfera de benevolência, de serenidade e de paz,
onde todas as coisas saem perfeitas e puras das mãos de Deus.
Desde que os laços materiais estejam rompidos, a alma pura faz seu vôo para as regiões mais altas; lá, vive uma vida livre, pacífica, intensa, ao lado da qual o passado terrestre lhe parece apenas um sonho doloroso. Na demonstração das ternuras recíprocas, numa vida isenta de males, de necessidades físicas, a alma sente suas faculdades se multiplicarem; elas adquirem uma aptidão e uma extensão que os fenômenos de êxtase nos fazem entrever os esplendores velados.
A linguagem do mundo espiritual é a das imagens e dos símbolos, rápida como o pensamento. É por isso que nossos guias espirituais se servem de preferência de representações simbólicas para nos prevenir, no sonho, de um perigo ou de uma desgraça. O éter, fluido brando e luminoso, toma com extrema facilidade as formas que a vontade lhe imprime. Os espíritos comunicam-se entre si e compreendem-se por processos diante dos quais a arte oratória mais perfeita, toda a magia da eloqüência
humana pareceriam apenas um balbuciar grosseiro.
Tudo é graduado na vida espiritual. A cada grau de evolução do ser para a sabedoria, para a luz, para a santidade, corresponde um estado mais perfeito de seus sentidos receptivos, de seus meios de percepção. O corpo fluídico, cada vez mais transparente, cada vez mais diáfano, deixa passagem livre às radiações da alma. Daí uma aptidão maior para apreciar, para compreender os esplendores infinitos; daí uma lembrança mais viva do passado, uma familiarização cada vez maior com os seres e as coisas dos planos superiores, até que a alma, em sua progressão, tenha atingido as altitudes supremas.
Quando atinge essas alturas, o espírito vence toda paixão, toda tendência para o mal; ele libertou-se para sempre do domínio material e da lei dos renascimentos. É a entrada definitiva nos reinos divinos, de onde só descerá voluntariamente ao círculo
das gerações para desempenhar missões sublimes.

Fonte: O PROBLEMA DO SER, DO DESTINO E DA DOR
LÉON DENIS


x_3c9af347

2 comentários:

LUCONI disse...

Denise que alegria estar aqui, esta postagem fez-me refletir, nossa que dificuldade terei eu para conseguir ao menos não cair, como são maravilhosos estes irmãos que apesar de toda luz alcançada se sacrificam por nós espíritos atrasados, que vivemos insistindo em nossos erros, que o Pai tenha misericórdia é o que peço, e só tenho direito disto pedir, beijos meu anjo, Luconi

tesco disse...

Denis não apela à emoção, mas à razão.
aí eu fico pensando: Parece que a única missão que eu recebi foi aperfeiçoar a mim mesmo.
Não sei se consegui alguma coisa nesse tópico, mas que dá um trabalho danado, isso dá!
Beijos.