- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

ILUSÃO III

       
Todos os seres humanos nascem com reações emocionais. Encontramos nos bebes emoções de raiva, quando estão impedidos de andar, pegar, brincar, ou seja, movimentar-se livremente. Verificamos também emoções de medo, quando ficam sem apoio, quando se sentem abandonados ou diante de barulhos fortes.
                Na infância, se as emoções forem impedidas de se manifestar, irão ocasionar sérios danos no desenvolvimento psicoemocional do adulto, constituindo-se-lhe um obstáculo para atingir a auto-segurança.
                A raiva ou o medo são emoções que proporcionam um certo estado de alerta, que nos mantêm despertos. Sem eles, ficamos impotentes e não conseguimos proteger nossa integridade física nem a psicológica das ameaças que enfrentamos na vida. São eles que nos orientam para a defesa ou para a fuga em situações de risco.
                Obviamente, não estamos fazendo alusão às emoções patológicas e irracionais, mas àquelas que,naturais, são essenciais ao crescimento e desenvolvimento dos seres humanos.
                Nossos sentidos são tudo o que temos para perceber os recados da vida; contê-los seria o mesmo que destruir o elo com nossa intimidade.
                Não sentir é viver em constante ilusão, distanciado do verdadeiro significado da vida. A repressão das emoções inibe o ritmo e a pulsação interna, limita a vitalidade e reduz a percepção. Quando reprimimos uma emoção, por certo estaremos reprimindo muitas outras. Ao reprimirmos nossas emoções básicas (medo e raiva), certamente estaremos reprimindo também as emoções da afetividade. Infelizmente, não conseguiremos lidar com as dificuldades e encontrar soluções, se perdermos o contato com as leis da natureza, aliás criadas por Deus e que nos regem a todos. É mais produtivo para a evolução das almas acreditar naquilo que se sente do que nas palavras que se ouvem.

Do livro: As Dores da Alma – Francisco do Espírito Santo Neto/Hammed        


x_3c9af347

3 comentários:

Élys disse...

Gostei muito desta página.
Creio que , de fato, o que sentimos nos ajudam muito mais do que as, palavras que nos dirigem.
Beijos.

Luz13 disse...

Olá! Gostei do blog e partilho o depoimento emocionante de ALINE quando completou 49 anos.Com toda sua sensibilidade tenho certeza que irá gostar. http://www.youtube.com/watch?v=dSagrGrBeCw&feature=share&list=UUBvY_tI9xN0wVbBqJMxSr6g . Veja os outros vídeos também. Abraços

tesco disse...

Pode-se dizer: Emocionante!
Risos.
Mas, é de se lembrra o grande missionário, Mohandas Gandhi:
"O medo tem alguma utiidade,
a covardia não!".
Beijos.