- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 8 de novembro de 2015

REENCARNAÇÃO DOS ANIMAIS

Pergunta - Perdi meu cachorrinho e sofri muito. Já havia tido outros animais, mas ele era especial. No dia falei: Não sei o que seria de mim sem ele. Ele faleceu 30 minutos após eu dizer isso. Será possível ele vir a renascer como um ser mais evoluído por ser tão inteligente? Pode ser um humano? É possível?
Resposta - A cada reencarnação voltamos mais evoluídos à nova experiência física. Ficamos melhores, mas como a natureza não dá saltos, frase de Leibniz as mudanças perceptíveis são letas e para um animal reencarnar em outra nova espécie ele precisa completar todo o seu cronograma evolutivo na espécie em que já está, antes de iniciar a experiência em outra mais evoluída. Mesmo assim, existem inúmeras espécies intermediárias entre a fase de caninos e homem, por exemplo, por onde esse espírito deve passar. Essas fases intermediárias ocorrem tanto nesse como em outros mundos e não somente em mundos físicos, mas também espirituais. Para um animal chegar à fase humana, pode levar décadas, séculos ou milênios. Então, é possível que, algum dia, o espírito que habita hoje um corpo animal se torne apto a ocupar um corpo humano, mas isso exige tempo e vivências para aquisição de mais experiência nas fases anteriores à humanidade. O mais provável é que nesse caso ele retorne em um corpo de cão, novamente, e em um lugar onde possa evidenciar todo o seu aprendizado anterior, isto é, em um lar onde haja a possibilidade de demonstrar seu potencial de inteligência. Assim como em relação a tudo nesse mundo físico, o apego excessivo pode ser prejudicial em momentos de separação, como o que ocorreu nesse caso. A amizade é importante, o carinho também, mas não podemos perder de vista que os animais tem existência física finita e sua caminhada evolutiva é independente da nossa. O apego excessivo é prejudicial tanto aos animais quanto ao nosso espírito que não encontra paz enquanto não nos desligamos desse excesso.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

Um comentário:

Élys disse...

Uma bela explicação.
Marcel Benedeti tem um grande conhecimento sobre os animais.
Um abraço.