- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 26 de abril de 2011

AS PROVAS E A MORTE

O Universo é uma arena em que a alma luta pelo seu engrandecimento, e este só é obtido  por seus trabalhos, sacrifícios e sofrimento. A dor, física ou moral, é um meio poderoso de desenvolvimento e de progresso. As provas auxiliam-nos a conhecer, a dominar as nossas paixões e a amarmos realmente os outros. No curso que fazemos, o que devemos procurar adquirir é a ciência e o amor alternadamente. Quanto mais soubermos, mais amaremos e mais nos elevaremos. A fim de podermos combater e vencer o sofrimento, cumpre estudarmos as causas que o produzem, e, com o conhecimento dos seus efeitos e a submissão às suas leis, despertar em nós uma simpatia profunda para com aqueles que o suportam. A dor é a purificação suprema, é a escola em que se aprendem a paciência, a resignação e todos os deveres austeros. É a fornalha onde se funde o egoísmo, em que se dissolve o orgulho. Algumas vezes, nas horas sombrias, a alma submetida à prova revolta-se, renega a Deus e sua justiça; depois, passada a tormenta, quando se examina a si mesma, vê que esse mal aparente era um bem; reconhece que a dor tornou-a melhor, mais acessível à piedade, mais caritativa para com os desgraçados.
                Todos os males da vida concorrem para o nosso aperfeiçoamento. Pela dor, pela prova, pela humilhação, pelas enfermidades, pelos reveses  o melhor desprende-se lentamente do pior. Eis por que neste mundo há mais sofrimento que alegria. A prova retempera os caracteres, apura os sentimentos, doma as almas fogosas ou altivas.
                A dor física também tem sua utilidade; desata quimicamente os laços que prendem o espírito à carne; liberta-o dos fluídos grosseiros que o retém nas regiões inferiores e que o envolvem, mesmo depois da morte. Essa ação explica, em certos casos, as curtas existências das crianças mortas com pouca idade. Essas almas puderam adquirir na Terra o saber e a virtude necessários para subirem mais alto; como um resto de materialidade impedisse ainda o seu vôo, a sua completa depuração.
                Não imitemos esses que maldizem a dor e que, nas suas imprecações contra a vida, recusam admitir que o sofrimento seja um bem. Desejariam levar uma existência a gosto, toda de bem-estar e de repouso, sem compreenderem que o bem adquirido sem esforço não tem nenhum valor e que, para apreciar a felicidade, é necessário saber-se quanto ela custa. O sofrimento é o instrumento de toda elevação, é o único meio de nos arrancarmos à indiferença, à volúpia. É quem esculpe nossa alma, quem lhe dá mais pura forma, beleza mais perfeita.
                A prova é um remédio infalível para a nossa inexperiência. A Providência procede para conosco como mãe precavida para com seu filho. Quando resistimos aos seus apelos, quando recusamos seguir-lhe os conselhos, ela deixa-nos sofrer decepções e reveses, sabendo que a adversidade é a melhor escola da prudência.
                Tal o destino do maior número neste mundo. Debaixo de um céu algumas vezes sulcado de raios, é preciso seguir o caminho árduo, com os pés dilacerados pelas pedras e pelos espinhos. Um espírito de vestes lutuosas guia os nossos passos; é a dor santa que devemos abençoar, porque só ela sacode e desprende-nos o ser das futilidades com que este gosta de paramentar-se, torna-o apto a sentir o que é verdadeiramente nobre e belo.

Do Livro: Depois da Morte – Léon Denis



4 comentários:

RUTE disse...

Gosto muito de seus textos, embora por vezes tenha de vir 2 e 3 vezes para ler por partes :)
Maldito tempo que desaparece por entre os dedos... maior fosse o dia, maior era a romaria (e os trabalhos!).
Divido-me entre trabalho, filha, casa, marido, blog, mas sem stress hein! Esse já consigo controlar sem problema!
Beijo GRANDE!
Rute

Cynthia disse...

Oi querida, a MORTE pra mim é um problema.
Abraço Cy.

Élys disse...

A Terra é uma escola onde as lições nem sempre são compreendidas, mas são necessárias.
Meu carinho fraterno

ARCA do Conhecimento.Com disse...

Denise, minha amiga. Texto essencial para o estudo da Doutrina. Obrigada pelo selinho. Já o postei no Arca, com muito carinho em Mimos 2011. Também tenho um selinho para você no Arca. Chama-se “Este blog é apaixonante”. Está em Mimos 2011. É só rolar a tela para baixo. Fique à vontade para responder ou não as perguntas. Beijos.