- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 23 de abril de 2011

AMADURECIMENTO

            Quem julga as pessoas e o mundo como responsáveis pela sua infelicidade é infantil e inexperiente.
            Quem assume seus erros e se responsabiliza por tudo o que está vivendo interior e exteriormente, traz consigo a maturidade da criatura sábia e sensata, que aprendeu a enxergar a vida com os olhos do discernimento.
            A espiritualidade não nos aprecia ou julga com o cetro da perfeição; ao contrário, leva em conta as limitações de nossa condição evolutiva. Ela procura sempre estabelecer o equilíbrio da justiça, pedindo a quem muito sabe e pouco exigindo daquele que quase nada conhece.
            São denominados cuidadores ou salvacionistas os indivíduos que dispensam exagerada atenção e excessivo cuidado à vida das pessoas. Inconscientemente, se sentem responsáveis por problemas, escolhas, atos, sentimentos, bem-estar e destino de outrem. Esse comportamento, desprovido de maturidade psicológica, manifesta desrespeito à individualidade e invasão dos limites alheios.
            Essa mentalidade salvacionista pode ter origem na atitude de superproteção cultivada pelos pais na educação dos filhos. Os adultos alegam que as crianças são ainda incapazes e indefesas e, assim, impedem-lhes o exercício diário do desenvolvimento de seu potencial – conjunto de qualidades de todo ser humano ou sua capacidade de realização.
            Quem tenta, obsessivamente, cuidar dos outros e controla-los, sob a alegação de amor ou caridade, na realidade está apenas dificultando e retardando o despertar das habilidades inatas deles.
            O procedimento mais benéfico que podemos adotar para facilitar nosso amadurecimento espiritual, é exercitar o auto-julgamento e assumir total responsabilidade por tudo aquilo que sentimos, pensamos e fazemos, deixando que os outros aprendam também a se autojulgar e auto-responsabilizar-se através das próprias experiências.
            A Divina Providência não nos apresenta um problema sem que tenhamos a capacidade de resolve-lo.
            O que estamos vivendo hoje é produto de nossas escolhas, decisões e, portanto, é responsabilidade só nossa. Quando aceitarmos plenamente essa afirmação, teremos condições de discernir com maior clareza os limites das verdadeiras necessidades, nossas e dos outros.

Do livro: UM MODO DE ENTENDER, UMA NOVA FORMA DE VIVER

Francisco do Espírito Santo Neto – Espírito Hammed


3 comentários:

Jeanne disse...

hammed vai fundo no psiquismo humano com linguagem muito acessível. adoro seus textos.
Obrigada pelo carinho lá no blog, beijos

Cantinho She disse...

Olá querida, passando para desejar uma feliz Páscoa para vc e família! Bjo, bjo!
She

Alma Aprendiz disse...

Olá amiga!
Perfeito esse texto que nos alerta para que a cura de nossos males está em nós mesmos e não nos nos outros.
Não temos o direito de reclamar de ninguém,a não ser de nós mesmos,da nossa incapacidade de entender e praticar a mensagem cristã.
Beijossssssssss