- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


terça-feira, 5 de março de 2013

HISTÓRIA - O Segredo do Bom Casamento


                Um homem e uma mulher estavam casados por mais de 60 anos.
                Eles tinham compartilhado tudo um com o outro e conversado sobre tudo.
                Não havia segredos entre eles, com exceção de uma caixa de sapato que a mulher guardava em cima de um armário e tinha avisado ao marido que nunca abrisse aquela caixa e nem perguntasse o que havia nela.
                Por todos aqueles anos ele nunca nem pensou sobre o que estaria naquela caixa de sapato.
                Um dia a velhinha ficou muito doente e o médico falou que ela não sobreviveria.
                Sendo assim, o velhinho tirou a caixa de cima do armário e a levou pra perto da cama da mulher.
                Ela concordou que era a hora dele saber o que havia naquela caixa.
                Quando ele abriu a tal caixa, viu duas bonecas de crochê e um pacote de dinheiro que totalizava 95 mil dólares.
                Ele perguntou a ela o que aquilo significava, ela explicou:
                - Quando nós nos casamos minha avó me disse que o segredo de um casamento feliz é nunca argumentar ou brigar por nada. E se alguma vez eu ficasse com raiva de você que eu ficasse quieta e fizesse uma boneca de crochê.
                O velhinho ficou tão emocionado que teve que conter as lágrimas enquanto pensava: somente duas bonecas preciosas estavam na caixa. Ela ficou com raiva de mim somente duas vezes por todos esses anos de vida e amor.
                - Querida! Você me explicou sobre as bonecas, mas e esse dinheiro todo, de onde veio?
                - Ah! Esse é o dinheiro que eu fiz com a venda das bonecas, só sobrou duas.

Autor Desconhecido

Fonte: Jornal do Espiritismo – outrubro/2012

x_3c9af347

Um comentário:

Élys disse...

Gostei muito. Uma história bem humorada e uma forma de não discutir.
Beijos.