- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 29 de março de 2014

A RELAÇÃO ENTRE DOIS MUNDOS II

            
                Em Mateus (16:19) encontramos: “E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus..” podemos claramente evidenciar que a mensagem do Evangelho afirma, de maneira clara, sobre as conseqüências espirituais de tudo o que fazemos aqui, na vida material.
                Mergulhando profundamente nesta expressão, podemos ainda questionar o que o evangelista Mateus quer dizer com ligar, dando-nos a idéia de que poderíamos, da mesma forma, desligar o que ligamos anteriormente.
                Esta é a notícia boa dentro da problemática da queixa, ou seja, enquanto nos queixamos de nossa condição e da vida à nossa volta, nos ligamos a seres que vibram na mesma condição. Contudo quando aprendemos a domar nossas tendências queixosas e mantemos esta nova postura mental, da mesma forma, nos desligamos destas companhias espirituais e nos libertamos para novas ligações, ainda pelos mesmos meios. Nossas disposições mentais serão sempre determinantes, afinal, o tempo todo estamos irradiando nossas vibrações pessoais a todos os lugares.
                Observando ainda a mesma expressão de Mateus, ela diz: “E eu te darei as chaves do reino dos céus...” e assim podemos avaliar a importância destas ligações, afinal, se nos ligarmos de maneira adequada e atraindo companhias espirituais saudáveis do ponto de vista moral, seria a chave do reino dos céus, pois atraindo seres felizes, seríamos influenciados positivamente.
                A influência dos espíritos é elemento fundamental para decidir a condução de nossas vidas. Contudo, alguém poderia pensar que este processo nos deixaria na condição de vítimas destas influências e de certa forma sim, mas não podemos deixar de lembrar que somos influenciados por aqueles que atraímos, o que devolve a nós a responsabilidade de todo o processo e nos dá, mesmo perante a execução desta lei natural, a liberdade de escolhermos quem queremos como companhia espiritual. Aí está a grandeza de Deus, que nos deixa livres para buscar os parceiros mais adequados à nossa realidade moral.
                É assim que podemos entender que os dois mundos, material e espiritual, caminham com ligação e comunhão constante, interagindo o tempo todo e o entendimento desta realidade nos coloca em condições de transformar nossa realidade atual para outra desejada.
                Muitas vezes a ausência desta informação nos deixa eclipsados sobre algumas reações que temos. Ficamos sem entender por que agimos desta ou daquela forma, afinal, a influência exercida pelos imortais é sempre sutil e mesclada às nossas próprias intenções. Somente uma análise criteriosa poderia nos dar a chance de distinguir quais pensamentos são nossos e quais não, porém, esta análise seria de menor importância. O bom é estabelecermos boas parcerias para viver, fazer o bem para atrair o bem, então, qualquer influência seria favorável e nos conduziria ao bem.
                É evidente que ao reclamarmos o dia inteiro e atrair companhias espirituais compatíveis com nossos estado emocional, diante do desligamento do sono encontramos estas mesmas criaturas e, ao retornar a condição desperta, trazemos impressas em nós as reações destas comunicações.
                Abandonar o vício da queixa, além de nos proporcionar uma qualidade de companhia espiritual elevada, nos garantiria uma melhor qualidade de sono representando, assim, mais saúde.


Do livro: Terapia Antiqueixa – Roosevelt Andolphato Tiago

Nenhum comentário: