- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 30 de março de 2014

HISTÓRIA - O Presente Errado


               
               Miie Tamaki resolveu largar tudo que fazia – era economista – para dedicar-se à pintura. Durante anos procurou um mestre adequado, até que encontrou uma mulher especialista em miniaturas, que viva no Tibete. Miie deixou o Japão e foi para as montanhas tibetanas, aprender o que precisava. Passou a morar com a professora, que era extremamente pobre.
                No final do primeiro ano, Miie voltou ao Japão por alguns dias, e retornou ao Tibete com malas cheias de presentes. Quando a professora viu o que ela tinha trazido, começou a chorar, e pediu que Miie não voltasse mais a sua casa, dizendo:
                - Antes, nossa relação era de igualdade e amor. Você tinha teto, comida e tintas. Agora, ao me trazer estes presentes, você estabelece uma diferença social entre nós. Se existe esta diferença, não pode existir compreensão e entrega.

Fonte: Coluna Paulo Coelho – Revista Bem-Estar
Encarte do jornal Diário da Região – 02/03/2014
São José do Rio Preto
imagem: www.bordadoscuritiba.com.br

Um comentário:

tesco disse...

Parece que as histórias que Paulo Coelho conta admitem duas interpretações, pelo menos.
Para mim, me parece exatamente o contrário: Compreensão e entrega têm que existir e manifestarem-se apesar de qualquer diferença social.
Não é a concessão de uma dádiva que impõe a subalternidade. Tenho amigos e lhes dou presentes, e isso não acaba com a amizade.
Beijos.