- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 1 de junho de 2014

PROGRAMAÇÃO COMPORTAMENTAL I

                Prosseguimos em nosso processo de terapia direcionada a vencer nossas queixas e, para isso, utilizaremos de todas as ciências que possam contribuir, afinal, Allan Kardec sempre valorizou a ciência a ponto de nos deixar a orientação de que, se um dia houvesse uma divisão entre a ciência e a Doutrina Espírita, caberia a nós retrocedermos e acatar o que diz a ciência.
                Toda mudança de programação ocorre instantaneamente, pois o cérebro funciona muito depressa. Portanto, a forma de mudar um condicionamento indesejado é substituí-lo instantânea e definitivamente por um ato de vontade real.
                O difícil é juntar toda a vontade, que é um atributo natural do espírito, em um ponto único de cada vez. Geralmente, depois que decidimos mudar, acabamos nos distraindo com outros objetivos. É certo que existe um instante decisivo, um momento onde ficamos saturados da lamentação e este é o momento ou o ponto de virada. É nesse momento que a vontade triunfa. Mas, como chegar lá? Como organizar a força da vontade?
                Entender o processo da mudança talvez torne a coisa mais fácil. Perceba a mudança como um processo e não mero mecanismo. Existe um antes e um depois da famosa tomada de decisão. A força de vontade não é um atributo do caráter, algo que uns têm e outros não. Como qualquer outro atributo do espírito, todos a possuímos.
                E a mesma pessoa que fraqueja num dia, triunfa no outro. O mesmo sujeito que teve força de vontade para se livrar de um comportamento viciado, continua dependente de outras viciações por isso, devemos listar uma a uma as modificações que julgamos necessárias. O mais correto é focarmos em uma de cada vez, fazermos um programa de autotransformação mas, sempre um alvo da cada vez.
                A força de vontade mesmo estando no homem, manifesta-se quando o indivíduo está racional e emocionalmente maduro para mudar, verdadeiramente decidido. Entender isso melhora nossa autoestima, ajudando-nos a ser menos ansioso e mais compreensivo conosco mesmo, administrando melhor o processo de mudança ou de programação mental para a nova realidade que almejamos.
                Toda mudança de comportamento se realiza em três fases:
·         Compreensão dos inconvenientes que o velho condicionamento acarreta.
·         Vontade de mudar.
·         Estabelecimento de um novo condicionamento.


Do livro: Terapia Antiqueixa – Roosevelt Andolphato Tiago
imagem: www.maisqualidadedevida.com.br

Um comentário:

Ilca disse...

Olá amiga,
Toda mudança requer esforço... é um processo difícil, mas chegamos lá. Estamos todos aprendendo.
Bela reflexão!
Carinhoso abraço, Denise.