- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 21 de fevereiro de 2016

CAUSAS DE INFIDELIDADE CONJUGAL III

                Aliam-se às causas de vidas passadas aquelas da vida atual que, a seu turno, podem dizer respeito à sua história de vida – história biográfica – e às dificuldades do relacionamento matrimonial recente – história conjugal.
                No que tange à sua biografia, vamos encontrar muitas motivações, conforme as circunstâncias de vida de  cada um, que podem induzir a comportamentos de não fidelização ao parceiro na caminhada afetiva.
                Aqui podemos mencionar algumas situações muito freqüentes:
                - Quando vítimas de abuso sexual na infância ou na adolescência;
                - quando sofrem traumas no campo afetivo, tendo presenciado traições de seus pais ou de pessoas representativas do ponto de vista psicológico;
                - quando abandonados emocionalmente por mãe ou pai, ainda crianças ou mesmo adolescentes;
                - quando foram confidentes dos pais nos relatos de traições conjugais;
                - quando tiveram como referência de modelo pai ou mãe com comportamentos reiterados no adultério;
                - quando, na idade infantil, se transformaram em cúmplices no segredo de infidelidades para que o lar não se desfizesse;
                - quando assimilaram crenças negativas de pessoas importantes acerca do casamento, da monogamia, da fidelidade;
                - quando testemunharam a cristalização da dor em um dos pais, depois de abandonado pelo outro, para conviver, prematuramente, com uma terceira pessoa;
                - quando experimentaram traição de namorado na adolescência, às vezes com uma pessoa amiga;
                - quando se sentiram descartáveis, após se sentirem trocados por outra pessoa;           - quando viveram traição em relação estável.
                É verdade que muitas outras vicissitudes podem instalar propensão às traições conscientes ou inconscientes, variando de acordo com cada situação vivida e da forma como se significou o evento experimentado. Às vezes, um fato que habitualmente traumatiza é suplantado com elaboração e transformação psicológica, dependendo do nível de consciência de quem vive a ocorrência.
                Quanto maior for a evolução do espírito, maior será a sua competência para lidar com esses conteúdos de vida.


Fonte: CASAMENTO: A ARTE DO REENCONTRO – ALBERTO ALMEIDA
imagem: google

3 comentários:

Roselia Bezerra disse...

Boa Tarde,querida Denise!
Infidelidades são ingratas mas acontecem e devemos perdoar pra sermos felizes... não significando que voltemos com os traidores, claro!
Bjm muito fraterno

Marlene disse...

Boa tarde amiga Denise venho trazer um abraço cheio de saudade e deixar
meu convite a visitar mentoresdeluz.blogspot.com fiz um longo intervalo
ausente por motivos de saúde hoje me recuperando aos poucos,tentando resgatar os amigos ,adorei ler este texto maravilhoso saudades de ler suas posts
um abraço meu carinho marlene

Adelaide Araçai disse...

Saudades imensas desse cantinho de esclarecimentos.
Desejo uma semana repleta de alegrias para você!
Muita Luz e Paz!
Abraços