- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sexta-feira, 18 de abril de 2014

QUE BUSCAIS?

“E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais?” — (JOÃO 1:38.)

A vida em si é conjunto divino de experiências.
Cada existência isolada oferece ao homem o proveito de novos conhecimentos. A aquisição de valores religiosos, entretanto, é a mais importante de todas, em virtude de constituir o movimento de iluminação definitiva da alma para Deus.
Os homens, contudo, estendem a esse departamento divino a sua viciação de sentimentos, no jogo inferior dos interesses egoísticos.
Os templos de pedra estão cheios de promessas injustificáveis e de votos absurdos.
Muitos dos votos entendem encontrar na Divina Providência uma força subornável, eivada de privilégios e preferências. Outros se socorrem do plano espiritual com o propósito de solucionar problemas mesquinhos.
Esquecem-se de que o Cristo ensinou e exemplificou.
A cruz do Calvário é símbolo vivo.
Quem deseja a liberdade precisa obedecer aos desígnios supremos. Sem a compreensão de Jesus, no campo íntimo, associada aos atos de cada dia, a alma será sempre a prisioneira de inferiores preocupações.
Ninguém olvide a verdade de que o Cristo se encontra no umbral de todos os templos religiosos do mundo, perguntando, com interesse, aos que entram: “Que buscais?”

Fonte: CAMINHO, VERDADE E VIDA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
imagem: www.reflexoesevangelicas.com.br

Comentários Haroldo Dutra Dias:
O evangelista conta dos primeiros discípulos que procuravam à Jesus. Emmanuel diz que hoje, Jesus se encontra nas portas de todos os templos religiosos da Terra, fazendo a mesma pergunta: “Que buscais?”. Porque a aquisição de valores religiosos é a mais importante de todas, em virtude de constituir um movimento de iluminação definitiva da alma para Deus. A vida é em si, conjunto divino de experiências. Recolher os elementos de iluminação intima e erguer a nossa alma para Deus, trabalhar definitivamente os nossos sentimentos, as nossas emoções e os nossos desejos, deveria ser o propósito sublime de todos aqueles que se aproximam dos templos religiosos e em especial daqueles que procuram a figura do Cristo. Aprendemos nessa lição que o trabalho de Jesus é aperfeiçoar os nossos sentimentos, elevando a nossa alma para a espiritualidade superior. “Que buscais?”, permanece a pergunta. É nos propósitos da busca do coração que identificamos a posição de cada um e a posição no nosso próprio espírito na jornada evolutiva.


2 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Denise, passando por aqui para aprender com teus posts.
Um abração. Tenhas um ótimo feriadão.

tesco disse...

A citação enfoca o episódio da adição de André e Pedro aos discípulos do Cristo. André ouviu o comentário de João Batista sobre Jesus: "Eis aqui o Cordeiro de Deus", então, procurou Pedro (que ainda era Simão), e passaram a seguir Jesus.
Deveríamos ter essa firmeza de propósitos, uma vez encontrado o caminho do bem, seguí-lo sempre.
Emtretanto, falhamos muito, e alegamos: "A carne é fraca!".
Sim, mas quem comanda a carne é o espírito.
Beijos.