- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

CILADAS I


Na trajetória humana em favor do desenvolvimento moral e intelectual, o espírito, não poucas vezes, defronta armadilhas bem urdidas, nas quais tomba de maneira irreversível, comprometendo-se por largo período.
            Constituem testes à resistência moral de todo jornaleiro que se aprimora através das experiências da evolução.
            Ninguém que desempenhe funções ou papéis relevantes que não seja surpreendido por esses mecanismos perigosos que lhes põem à prova a capacidade mental e as resistências morais.
            Sutis, algumas vezes, apresentam-se como dourados atrativos que seduzem e terminam por envilecer o caráter de quem lhes aquiesce ao convite.
            Noutras ocasiões, surgem de inopino, ameaçadoras e voluptuosas, surpreendendo e obrigando as vítimas a capitular, inermes, interrompendo o ritmo do ideal, da conduta, do trabalho a que se afervoram.
            Algumas anunciam favores e glórias fascinantes que atingem a sensibilidade emocional, levando a paixões de afetividade doentia.
            Inúmeras outras assumem o odioso aspecto da animosidade e da perseguição inclemente e gratuita, que termina por desestruturar aquele que lhe padece o cerco.
            Normalmente, fazem-se insinuantes e agradáveis, sem aparente malícia nem mácula, culminando pelo envolvimento daquele que se permite fascinar pelo engodo de que se revestem.
            Existem as ciladas licenciosas, vulgares, insensatas, em que muitos corações gentis e dóceis enleiam-se, comprazendo-se irresponsavelmente no comportamento divertido que se torna chulo e perturbador.
            Diversas outras são refinadas e trabalham a presunção do indivíduo invigilante, afastando-o do convívio social saudável que parece asfixiá-lo, isolando-o na alienação da falsa autossuficiência.
            As ciladas constituem recursos perturbadores durante a experiência humana, e têm a finalidade  de proporcionar a aquisição de resistências espirituais e de valores pessoais ao indivíduo, mediante os quais o espírito se enriquece de sabedoria.
            Todos os seres humanos, de uma ou de outra maneira, experimentam-nas durante a vilegiatura terrestre.

Do livro: Entrega-te a Deus      
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis

Glitter Symbols - ImageChef.com

4 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida DENISE
ciladas x resistências espirituais...
Perfeito!!!
Bjs de paz

Suely... disse...

OI AMADA TUDO BOM ?SABE QUANDO PEGUEI ESSA IMAGEM ,PENSEI O QUE EU COLOCARIA NELA .ME VEIO A IMAGEM DE JESUS.FICOU PERFEITO.ABRAÇOS FRATERNOS.

Elaine disse...

Olá Denise,

Obrigada pela visita,e pelas palavras. A imagem derrama lágrimas de sangue,é linda eu também acho. Ela representa o para eu oelo menos, a luta de muitos, um pedido de socorro, as lágrimas que caem sobre um livro, onde debruçada derrama seu sangue em forma de lágrimas, pedindo ao Senhor que as colha, o livro é sagrado, e nele ela põe toda a sua esperança e se mostra sem mácasras, sem artifícios, e sem palavras conta o que realmente está se passando dentro do coração. Lágrimas de sangue, porque tanto chorou que agarora somente sangue sai de dentro de si.É enternecedora realmente, pois mostra a grande humildade dinate do divino de sua pequenes, do sua insignificancia, e diz tudo aquilo que não poderia dizer em palavras a ninguém, pos sabe que só ele entenderia. Eu a achoo divina.

Bjus no seu coração.

Valéria disse...

Oi Denise!
Nooossa, quantas são as ciladas em que nos deparamos durante a vida!
O pior que caimos muitas vezes pelo nosso estado de espírito naquele momento, uma vulnerabilidade que nos fazem sucumbir. Só revestidos no amor e na fé podemos nos desvencilhar.

Beijos!