- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 27 de agosto de 2011

CONFLITOS E DOENÇAS I



                As reencarnações comuns, sem destaques missionários, invariavelmente são programadas pelos automatismos das Leis, que levam em conta diversos fatores que respondem pelas afinidades ou desajustes entre os seres, assim como pelas realizações ético-morais, unindo-os ou não, de forma a darem cumprimento aos imperativos, responsáveis pela evolução individual ou dos grupos humanos. Em outras circunstâncias, são planejadas por técnicos no mister, que aproximam as criaturas, formando os clãs, nem sempre, porém, levando em consideração a afetividade existente entre eles, mas, também, situando-os próximos, na mesma consangüinidade, a fim de serem limadas as arestas, corrigidas as imperfeições morais, desenvolvidos os processos de resgates, próprios dos estágios em que permanecem.
                Encontros para primeiras experiências são organizados com o fito de facilitar a fraternidade, ampliando o círculo das afeições; reencontros são estabelecidos para realizações dignificadoras e também retificações impostergáveis.
                Por isso, são comuns os choques domésticos, os conflitos de idéias e de interesses, as preferências e os repúdios, os entendimentos e as reações familiares.
                Um espírito que, na infância corporal, não recebe afeto no ninho doméstico, face à sua historiografia perturbadora, e desenvolve futuros quadros de enfermidades psicológicas ou orgânicas, expia suavemente os delitos que não resgatou e agora são cobrados pela vida, reestruturando a consciência de dever, ou despertando para ela. Quando se trata, porém, de gravame severo, são impressos pelo perispírito no ser em formação física os limites e anomalias de natureza genética, propiciadores da expiação compulsória, que funciona como recurso enérgico para a reabilitação do calceta.
                Nada ocorre na vida por acaso ou descuido da consciência cósmica impressa na individual.
                Assim sendo, adquirir consciência, no seu sentido profundo, é despertar para o equacionamento das próprias incógnitas, com o conseqüente compreender das responsabilidades que a si mesmo dizem respeito.
                O ser consciente é um indivíduo livre e realizador do bem operante, que tem por meta a própria plenitude através da plenificação da humanidade.
                Alcançar esse nível de entendimento é todo um processo de crescimento interior, mediante constante vigilância e desdobramento das potencialidades adormecidas, que aguardam os estímulos que fomentam o seu despertar e a sua realização.
                Não conscientes das respostas da vida, obedecendo aos automatismos, muitas criaturas permanecem adormecidas em relação aos deveres, tornando-se instrumento de sofrimento para si mesmas, como para outros, que lhes experimentam a presença ou delas dependem.
                Uma das finalidades primaciais da reencarnação é a aquisição do amor, para o crescimento espiritual e o auto-aprimoramento.
                Vitimado pelos atavismos do desamor, pelos caprichos do egoísmo, o ser fecha-se na rebeldia e passa a sentir dificuldades em espalhar a luz do sentimento do bem, permanecendo indiferente ao seu próximo, mesmo quando ele faz parte do grupo familial. O problema se apresenta mais complexo quando esse mesmo sentimento egoísta registra antipatia ou surda animosidade por alguém do grupo doméstico. Tal reação ocorre em forma de desamor dos pais pelos filhos, desses por aqueles, entre irmãos ou outros membros do ninho doméstico.
                A atitude injustificada faz-se responsável por inúmeros conflitos psicológicos – fobias, insegurança, instabilidade emocional, complexos de inferioridade ou superioridade, soberba, etc – e enfermidades orgânicas que aí se instalam.
                                                                                                                                                                                            
Do livro: AUTODESCOBRIMENTO UMA BUSCA INTERIOR
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis

Glitter Symbols - ImageChef.com


3 comentários:

Gislene disse...

Tudo é aprendizado, não é mesmo Denise!?

Um beijo!

Gislene.

Suely... disse...

oi minha amiga Denise é muito bom contar sempre com sua presnça e seu carinho no Claridade e Amor.Você deve imaginar a importancia que este blog tem pra mim.,Espero ter sempre sua presença aqui.Que o Mestre Jesus te abençõe sempre.Beijus no coraçaõ

Amandio disse...

Obriga pela sua visita e posso deixar um link aqui é o meu primeiro livro http://www.bookess.com/read/9099-folhas-do-sertao/
um abraço e muita luz e paz