- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

SILENCIOSA EXPIAÇÃO II


                A reforma íntima é um período de transição em que deixamos de ser donos daquilo que não nos convém para aprendermos a nos apropriar daquilo que sempre foi nosso, mas nunca optamos por tomar conta. Nessa transição, o ser sente-se ostensivamente inseguro e infeliz.
                É um sofrimento muito sutil, que dificulta para a maioria das criaturas uma identificação plena do que ocorre consigo mesmo. Somente as incursões constantes e perseverantes na auto-análise ensejarão o discernimento e a constatação de semelhante prova da vida íntima. É tão sutil que muitos corações acostumam-se com os traços expiatórios descritos, supondo serem imperfeições integrantes da sua personalidade, quando, em verdade, são reflexos e efeitos que podem ser educados e extirpados no tempo utilizando-se adequadamente as forças íntimas que dormitam a espera da vontade ativa e consciente.
                A intensidade dessa expiação tomará graus diversos, conforme os compromissos e qualidades de cada individualidade, nunca ultrapassando o limite das forças de resistência e de sua capacidade de superar. Para uns será um período curto e inesquecível. Para outros terá um prolongamento em ração de sua rebeldia em aceitar os convites de renovação a que é chamado. Outros tantos, mesmo aceitando os alvitres da reforma, necessitam de um esticamento face ao volume de matéria mental mórbida, acumulada em milênios de repetição no erro, que vai escoando lentamente de seu psiquismo.
                Passado o conflito, vem a calmaria. Passada a dor é tempo de maiores responsabilidade no trabalho. Essa exoneração é apenas o começo de uma longa caminhada, e sem ela o homem não se habilita aos requisitos para assumir com proveito as oportunidades na marcha do progresso, ante a coletividade na qual está inserido. Primeiro cuida de si, mesmo estando servindo ao próximo, posteriormente terá mais êxito e experiência para penetrar no desconhecido mundo do outro e auxiliar-lhe com o consolo e o roteiro, fazendo da caridade um ato de libertação e amor.
                Ao descrevermos a silenciosa expiação, objetivamos esclarecer que algumas disciplinas tornam-se insubstituíveis e urgentes, a fim de amenizar o ardor da batalha interior. Queremos recordar a menosprezada terapêutica da prece. Menosprezada, porque não é usada com a utilidade e proveito que se poderia.
                A prece é um bombardeio de luz rompendo o campo tóxico da aura e alcançando o corpo espiritual nesse caso das expiações interiores. É uma limpeza provocada por impulsos mento-eletro-magnéticos na corrente dos chacras e nos nervos sutis, restaurando o equilíbrio e causando uma agradável sensação de sossego na intimidade. Alívio, esse é o melhor efeito da oração. Mas a prece também descortina forças sublimes no superconsciente, energias ainda ignoradas por nós e que são capazes de tonificar o corpo e a alma. Além disso, ela recolhe no universo do fluido cósmico a matéria rarefeita que resulta do pensamento dos espíritos superiores, armazenando farto suprimento de flocos de saúde e vitalidade.

MEREÇA SER FELIZ – Superando as ilusões do orgulho
Wanderley S. de Oliveira – Espírito Ermance Dufaux    

Glitter Symbols - ImageChef.com

5 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Denise
lindo post cheio de mensagem positiva... se auto analisarmos o nosso comportamento e seguirmos a Luz que vem do Alto... vamos num caminho de crescimento e paz!!!
Bjm festivo de paz

Gina disse...

Você sempre nos trazendo mensagens valiosas!
Vim desejar um ano de muita paz.
Bjs.

Leonice disse...

Muito..muito interessante esses textos (I e II), gostei e aprendi muito.
Gratidão querida Denise pela partilha!
Um grande abraço.

Caroll disse...

A reforma íntima torna o ser mais leve,mais confiante em seguir a caminhada e enfrentar as provações que vier.
Abraços

O SENHOR DO TEMPO disse...

olá querida vim prestigiar vosso artigo
e contemplar vosso blog

grande abraço de bruno