- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 30 de agosto de 2014

JESUS E REPOUSO II

Toda mudança de atividade faculta renovação de energias e dá novas motivações.
Um bom balanço de labores define quais as opções de que se dispõe como alternativas para o bem-estar.
O homem necessita, sem dúvida, de férias, de repouso, de espairecimento, que lhe proporcionam alegrias e refazimento para prosseguir trabalhando.
Expedientes excitantes, planos extravagantes, movimentação contínua e horários preestabelecidos constituem esforços desnecessários, com desperdício de energias.
A preocupação com trajes, a aparência, o tormento das compras de novidades e lembranças, exaurem o sistema nervoso, que se desgoverna, gerando irritação e mau humor.
Jesus comentou que “o Pai até hoje trabalha” e Ele “também trabalha”.
O trabalho é lei da vida, tanto quanto o é o repouso. Este, porém, não é paralisação, ociosidade, nem corrida da busca de coisa-nenhuma.
Como repouso entenda-se tranqüilidade interior, recuperação de forças, conquista de otimismo, estar de bem com a vida.
Proporcionar-se relaxação, leitura agradável esporte sadio, convivência com pessoas experientes, joviais, alegres, sem ruídos, viajar em calma para tomar contato com outros lugares, costumes, indivíduos, sem pressa, constituem método eficaz para um bem utilizado repouso.
Igualmente, meditar, no próprio lar; orar, buscando sintonia com as nascentes do pensamento superior; confraternizar com os sofredores, confortando-os e ajudando-os; asserenar-se, escutando melodias de profundo conteúdo emocional, são recursos valiosos e técnicas de repouso que podem ser aplicados em qualquer lugar, nas horas possíveis.
Basta entrar no quarto, fechar a porta e conversar com Deus, conforme ensinou Jesus ao referir-se à técnica da oração. O quarto é o mundo íntimo e a porta é o acesso ao exterior. Nesse lugar silencioso ouvirás Deus.
No teu programa de saúde física e mental inclui o repouso como necessidade prioritária.
Cuida, porém, do que farás como recurso repousante.
Aproveita a ocasião para descobrires-te, conheceres-te melhor e identificar o que, em verdade, te é indispensável, selecionando com rigor aquilo que necessitas para uma vida saudável, abandonando ou dando menos valor aos demais.
Repouso, sim, com ação edificante.

Fonte: JESUS E ATUALIDADE              
DIVALDO PEREIRA FRANCO/JOANNA DE ÂNGELIS
imagem: alinhamentoprofissional.blogspot.com

3 comentários:

Roselia Bezerra disse...

olá, querida Denise
É o segundo post que enfoca algo sobre preguiça que não gera vida...
To sentindo uma pontinha dela... vou orar pra ela ir-se de mim...
to me sentindo cansada...
Bjm fraterno

Ghost e Bindi disse...

Vivemos tempos em que a atividade contínua é buscada, como que para jamais ocupar-se de nosso interior. As pessoas têm medo do que chamam de "solidão": que é na verdade o encontro, nem sempre agradável, consigo mesmo e seu desleixo espiritual.
Deixamos aqui um abraço!

Bíndi e Ghost

tesco disse...


Nietzsche anunciou a morte de Deus,
certamente o deus que ele conhecia.
coitado!
Acreditava em toda a balela que lhe contavam!
Mas ninguém ainda ousou aposentar Deus.
Tá firme lá (e aqui) trabalhando sempre.
Temos que imitá-lo.
Beijos.