- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

VIVER VALE A PENA II

                O homem sem problemas coloca-se fora do jogo da vida, nem perde mas nem ganha, não experimenta dores pás para sempre vai ignorar a felicidade daquele que venceu as próprias limitações.
                Realizando uma contabilidade própria, veremos com relativa facilidade que os períodos de maior ganho em nossa vida coincidem com as fases de maiores adversidades. São os transtornos que fortalecem o caráter do homem e moldam uma índole de honestidade e confiança nos desígnios do Criador.
                O ao sempre identifica seu dono mas o homem, diante das lamentações, parece ignorar a Deus que, sabiamente justo, qualifica a vida da criatura humana com os elementos necessários a favorecer seu desenvolvimento.
                A felicidade tão almejada, não poderá habitar a vida dos que se encontram nas condições primárias da existência, sejam nas relações pessoais, profissionais e de convivência.
                Lembre-se que razões para queixar-se todos temos e sempre teremos enquanto habitarmos mundos desta natureza. Bom mesmo é nos colocarmos acima da natureza atual, afinal, se não é uma condição definitiva, deve estar em constante transformação.
                A vida desafiante é uma constate terapia operando na intimidade da consciência humana um ajuste com as leis que regem o universo, sempre inalteráveis pela soberania que apresentam. Nossa opção é sempre a da reação imortal, constante. Enquanto houver problemas, deve existir resistência comportamental.
                Reclamar, jamais. Trabalhemos no rumo reto que conduz ao objetivo a ser atingido. Enquanto lamentamos, as labaredas do problema são alimentadas. Sem a lamentação, o retorno à normalidade é favorecido e, desta forma, o controle da situação também. Lembrando sempre – você está em tratamento!


Do livro: Terapia Antiqueixa – Roosevelt Andolphato Tiago
imagem: espiritualidade-nocaminhodaluz.blogspot.com

Um comentário:

tesco disse...


Isso, isso, isso: "...o homem, diante das
lamentações, parece ignorar a Deus".
É o que eu disse, falta de atenção nas lições.
Estas pipocam por aí, como milho no fogo, nós é que
fazemos ouvidos de mercador.
Beijos.