- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

VIVER VALE A PENA III

                Vale a pena viver porque estamos longe de compreender a vida, mas temos que convir que é ao menos fascinante imaginar o que nos aguarda depois de tanto empenho em vencer nossas más tendências. Provavelmente não exista no vocabulário do homem, palavra ou expressão suficientemente capaz para definir a felicidade dos espíritos puros, aqueles que conquistaram a si mesmos e, observando as viciações vencidas, sentem a grata brisa da realização pessoal.
                A vida é o grande objetivo de tudo o que existe e a petulância dos que querem contrariá-la é sempre vencida pela paciência que ela trabalha, afinal, por mais que nos revoltemos, no final, a vida tem sempre razão.
                Não podemos, é claro, criar a idéia equivocada de que uma vida feliz seja aquela mergulhada nos excessos de dinheiro, saúde, sucesso ou fama. Felicidade é subproduto de uma vida reta, pautada em valores fixados e enraizados em nós. Sem dúvidas de que oscilações são constantes para a manutenção da vida.
                A felicidade é para os que possuem a coragem de ousar romper os limites da maioria, que tem consigo mesmo um acordo de ética e respeito, que são insistentemente otimistas e sempre tentam um pouco mais, mesmo nos momentos de dificuldades, afinal, só vale a pena demonstrar nossa opção pela vida quando ela não está nos presenteando com facilidades, senão, fica fácil demais.
                O espiritismo está no mundo não para resolver os problemas do homem, mas, para nos ensinar a viver e nos capacitar para resolvermos nossos próprios problemas. Ou achamos graça nisso ou a vida fica sem graça, como uma comida em que foi esquecido o sal ou um rio que perdeu contato com sua fonte.
                Abracemos a vida como proposta pessoal sem questionar seus recursos educativos, apenas procurando entender sua finalidade para estabelecermos em nós uma crença raciocinada, baseada na razão e que, inevitavelmente, atenderá o coração.
Geralmente, os infelizes são brigados com a vida e isto faz parte de sua infelicidade. Mesmo que a felicidade seja pouca, será suficiente se for vivida intensamente.
                Não reclame de nada, vença isso, afinal, temos tanto a crescer, e ficar fixado no que não é edificante, nunca vale a pena.
                Afinal, ser feliz é estar cheio de vida!


Do livro: Terapia Antiqueixa – Roosevelt Andolphato Tiago
imagem: casamento.culturamix.com

Um comentário:

tesco disse...


"excesso de saúde"?
Tudo em excesso nos é prejudicial, mas esse aí,
confesso, nunca vi.
E não temos que procurar dificuldades,
elas têm uma simpatia enorme por nós e nos procuram
espontaneamente.
Beijos.