- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

GOZO E FELICIDADE II

                O gozo é fácil de lograr-se, enquanto a felicidade exige labor de largo porte.
                O gozo exterioriza-se pelos implementos do corpo, no entanto, a felicidade procede e se demora na área do espírito.
                O gozo limita as aspirações maiores da vida, todavia, a felicidade dilata as forças para uma visão da vida face a eternidade.
                O gozo asselvaja o homem e é, ainda, remanescente do primitivismo do qual procede o ser; entretanto, a felicidade promove a ascensão do homem, tornando-o dúctil às expressões da vida mais alta.
                O gozo leva à ardência dos sentidos, conquanto a felicidade apazigua e emoldura de ternura o homem.
                Um é rápido, a outra duradoura.
                Não é por outra razão que o Eclesiastes afirma: “A felicidade não é deste mundo” e Jesus, dando validade ao conceito corroborou-o, na assertiva de que o seu “reúno não é deste mundo”, porquanto, não obstante a felicidade não possa ser totalmente fruída na Terra, aqui pode e deve ser trabalhada, constituída para atingir o seu estágio superior, fora do corpo, no reino do espírito, que é o reino de Cristo.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

Nenhum comentário: