- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 9 de abril de 2016

AMOR: O MAIOR MANDAMENTO ENSINADO POR JESUS I

                “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Mateus XXII)
                Eis a Lei que resume toda máxima e preceitos do cristo, a qual, no capítulo XV, do Evangelho Segundo o Espiritismo, também bem nos complementar as informações: “Não se pode verdadeiramente amar a Deus sem amar o próximo, nem amar o próximo sem amar a Deus. Logo, tudo o que se faça contra o próximo o mesmo é que fazê-lo conta Deus’. Com um Deus imparcial, soberanamente justo, bom e misericordioso, ela fez do amor de Deus e da caridade para com o próximo a condição indeclinável da salvação e nosso progresso, dizendo: “Amai a Deus sobre todas as coisas e o vosso próximo como a vós mesmos; nisto estão toda a lei e os profetas; não existe outra lei. Sobre esta crença, assentou o princípio da igualdade dos homens perante Deus e o da fraternidade universal”.
                E Jesus, o modelo a ser seguido, pautou toda Sua doutrina na Lei de Amor, pois o Amor é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. “No seu ponto de partida o homem só tem instintos, mais avançado e corrompido, só tem sensações, mais instruído e purificado, tem sentimentos. O amor é o requinte dos sentimentos.”
                O instinto é a germinação, são embriões do sentimento, e todos nós possuímos a centelha desse fogo sagrado, que é o Amor depositado em nossos corações. Esse germe do Amor se desenvolve e cresce com nossa moralidade e inteligência.
                Portanto, estamos ainda muito distantes desse amor sublime e verdadeiro tal qual ensinou e exemplificou Jesus, uma vez que encarnados muitas vezes levamos aos instintos materiais ou sensações, por ações físicas o que acreditamos ser amor! Somente mais instruídos e purificados, entenderemos o verdadeiro sentido do Amor. Daí a máxima deixada por Lázaro no Evangelho: “Feliz aquele eu ama, porque não conhece as angústias da alma, nem as do corpo.”
                Então, percebemos como estamos cada dia mais adoentados da alma que reflete patologicamente no corpo. Quantas doenças existentes entre nós causadas pela angústia, cólera, raiva, ódio, intolerância e incompreensão são advindas porque não temos purificado em nós o sentimento do Amor.
                Arrastamos por anos em nossa existência atual pensamentos de vingança, nutrimos o ódio, a inveja dando lugar ao egoísmo nas relações humanas. Nunca estivemos tão sozinhos, solitários individualistas por nossa própria opção.
                Mas, para praticar a Lei de Amor como Deus a que, é necessário que amemos pouco a pouco e indistintamente a todos nossos irmãos. Essa tarefa é longa e difícil, mas será realizada pois, faz parte de nossa doutrina e cedo ou tarde seremos arrastados pelo progresso da humanidade.

(continua)

Juliana P. C. Cuin


Fonte: Jornal Espiritismo Estudado – maio/2015
imagem: google

Um comentário:

Roselia Bezerra disse...

Bom dia, querida Denise!
Deus é puro Amor!
Bjm muito fraterno