- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


quinta-feira, 15 de junho de 2017

CONTROLE POPULACIONAL DE ANIMAIS DOMÉSTICOS

Pergunta - Castrar os cães e gatos não é contra a natureza? Não estaremos indo contra o que Deus pretende de nós?
Resposta - Sendo nossos dependentes, os animais precisam se adequar às condições da civilização. Os animais domésticos não são mais selvagens e por isso não estão mais sujeitos ao seu contexto, isto é, não podemos deixar que se reproduzam à vontade fora do seu meio selvagem onde existem meios de controle populacionais naturais. Se eles se reproduzem sem esse controle natural, em pouco tempo ocorrerá um crescimento populacional exponencial, o que poderá significar superpopulação e perda de condições mínimas de sobrevivência. Se hipoteticamente uma fêmea que dê à luz seis outras fêmeas, e se cada uma delas pudesse dar à luz outras seis fêmeas e se suas filhas e netas também derem à luz seis fêmeas cada uma delas, significa que a partir da primeira fêmea, em três anos ela terá dado origem a mais de seis mil outras fêmeas (aqui não estamos contabilizando os filhotes machos). Se supuséssemos que ao mesmo tempo haja mil fêmeas dando à luz ao mesmo tempo na cidade, então em três anos teremos cerca de seis milhões de fêmeas originando outras gerações que continuarão a se multiplicar nesse crescimento exponencial. No caso de gatos, esses números dobram porque se reproduzem duas vezes mais rápido que os cães, isto é, em três anos teremos doze mil gatas pelas ruas, geradas a partir de uma única fêmea e, se considerarmos também mil fêmeas que deram à luz ao mesmo tempo, teremos em três anos cerca de doze milhões de gatas pelas ruas. Na realidade essa superpopulação drástica não ocorre porque os animais acabam morrendo ou de fome ou de frio, ou atropelados ou de alguma doença, sem que ninguém saiba e em sofrimento. Nós já quebramos as regras da natureza ao torna-los domésticos, tomando para nós a responsabilidade sobre eles, pela saúde e bem-estar deles, e é imprescindível controlar a população para que não sofram ainda mais por nossa causa, castrando-os. Não estamos propondo nada drástico nem brutal, mas apenas um controle racional.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

Nenhum comentário: