- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


sábado, 22 de outubro de 2011

AZEDUME, TEMPERAMENTO EPIDÊMICO II


                O azedume é contagioso. Surge me grupos através de sinergia e simbiose indutora. O clima quase generalizado de descontentamento dilata-lhe a ação estabelecendo psicosferas acres, com teores energéticos que dispõem a variados distúrbios físicos, dolorosa pressão mental e estranhos sentimentos na convivência. Tais climas são predisponentes à perpetuação do contágio, um temperamento epidêmico!
                Nos grupos as pessoas acometidas pelo azedume agudo evitam conviver, ou se o fazem, recheiam-na de limites desnecessários e distanciadores, empobrecendo as relações, afastando uns e causando desgostos e agastamento a outros, sendo que ela própria, em crise íntima, desconhece estar sob seu domínio, sentindo incômodos inexplicáveis com os quais sofre em larga escala.
                São três os reflexos da obsessão sobre aqueles que convivem com o obsidiado: hostilidade dos sentimentos, perversão do senso moral e turbação da harmonia.
                O azedume provoca maus sentimentos, subtrai  força moral e destrona a harmonia naqueles que não adotam os antídotos da caridade na vida interpessoal com os que caíram nas malhas da azedação psíquica.
                Adotemos os cuidados imprescindíveis com essa epidemia de cansaço de viver ou estresse do espírito, que dormita na incessante postura de reclamar e revoltar com o que se é e com o que se tem.
                Azedume em quaisquer circunstâncias precisam de nosso carinho e siso moral para trazermos sua vítima á sobriedade novamente, ampliando-lhe a visão sobre as bênçãos que a vida o brindou, mas que ele ainda não descobriu ou esqueceu.
                O serviço de resgatar essa lucidez terá resultados positivos quando assume a palavra de orientação, de alguém que superou lutas com as insatisfações comuns da existência, a fim de acenar com caminhos que tocarão o afeto dos descontentes e os chamarão para a conduta de determinação e fé no futuro melhor, seguidos de muito trabalho cumprindo o dever sem fugir das responsabilidades assumidas antes do renascimento corporal.
                   
Do livro: MEREÇA SER FELIZ – Superando as ilusões do orgulho
Wanderley S. de Oliveira – Espírito Ermance Dufaux

Glitter Symbols - ImageChef.com

4 comentários:

Gina disse...

Denise,
Põe contágio nisso! Muito desagradável conviver com esse amargor, essa desesperança, que geralmente não é percebida pela pessoa que assim procede.
Bom final de semana!

Orvalho do Céu disse...

Ola,querida
O azedume corroi... como um inflamavel... que arrasa qualquer um...
Excelente post!!!
Bjm de paz e otimo fim de semana
(desculpe-me, o teclado esta sem acento)

Cecília Romeu disse...

Oi Denise, tudo bem?
Muito interessante este texto!
Sou católica, mas confesso muito aberta a outras doutrinas, no sentido de respeito e observação. Não sei quais as medidas possíveis que os espíritas tomam contra o "azedume", partindo do pressuposto de que seja uma obsessão.
De qualquer forma, é uma energia ruim que parece contagiar quando temos alguém assim junto a nós!

Muito obrigada pela presença por lá!
Beijos e ótimo domingo para ti e família!

blog da Paraguassu disse...

Olá Denise,
Há tanto tempo que não conversamos. Lindo este texto de Ermance. Adoro seus escritos. Traz-nos a oportunidade de refletirmos sobre tantas coisas, as quais fazem imenso sentido em nossa vida. Amei sua postagem. Voltarei mais vezes aqui.
Desejo uma semana com muita paz e luz.
Um beijo grande,
Maria Paraguassu.