- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 20 de março de 2011

YVONNE PEREIRA

Yvonne do Amaral Pereira nasceu na antiga Vila de Santa Tereza de Valença, no Rio de Janeiro em 24 de dezembro de 1900 e desencarnou no Rio de Janeiro em 09 de março de 1984. Filha de Manoel José Pereira Filho e Elizabeth do Amaral Pereira.
Aos 29 dias de nascida, depois de um acesso de tosse, sobreveio uma sufocação que a deixou como morta (catalepsia ou morte aparente). O fenômeno foi fruto dos complexos que carregava no espírito, já que, na última existência terrestre, morrera afogada por suicídio. Durante 6 horas permaneceu nesse estado. Seus pais já tinham preparado o velório, quando a criança acorda aos prantos. O funeral foi cancelado e a vida seguiu seu curso normal.
Seu lar sempre foi pobre e modesto, conheceu dificuldades inerentes ao seu estado social, o que, segundo ela, a beneficiou muito, pois bem cedo se alheou das vaidades mundanas e compreendeu as necessidades do próximo.
Aos 4 anos já se comunicava áudio-visualmente com os espíritos, aos quais considerava pessoas normais encarnadas. Duas entidades eram particularmente caras: o espírito Charles, seu orientador durante toda a sua vida e atividade mediúnica. O espírito Roberto de Canalejas, que foi médico espanhol em meados do século XIX.
Aos 8 anos repetiu-se o fenômeno de catalepsia, associado a desprendimento parcial. Aconteceu à noite e a visão que teve a marcou pelo resto da vida. Em espírito foi parar ante uma imagem do “Senhor dos Passos”, na igreja que freqüentava.
Nessa mesma época teve o primeiro contato com um livro espírita. Aos 12 anos, o pai deu-lhe de presente “O Evangelho segundo o Espiritismo” e o “Livro dos Espíritos”, que a acompanharam pelo resto da vida, sendo a sua leitura repetida, um bálsamo nas horas difíceis.
            Aos 13 anos começou a freqüentar as sessões práticas de Espiritismo, que muito a encantavam, pois via os espíritos comunicantes. Sua mediunidade era bastante diversificada. Foi médium psicografa e receitista (Homeopatia) assistida por entidades de grande elevação, como Bezerra de Menezes, Charles, Roberto de Canalejas, Bittencourt Sampaio.
            Yvonne tinha predileção pelo desdobramento, incorporação e receituário. Foi uma médium independente, que não se submetia aos entraves burocráticos que alguns centros exercem sobre seus trabalhadores.
            Yvonne do Amaral Pereira escreveu muitos artigos publicados em jornais populares. A sua obra mediúnica é composta por 20 livros.

4 comentários:

SARA disse...

Oi Denise!
Adorei saber sobre a Yvonne Pereira.
Obrigada pela partilha.
Bjs.

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Denise querida,

Maravilha!!!
Que história de vida emocionante!!!
Foi muito gratificante conhecer mais sobre a história desta irmã que muito tem acrescentado á todos.
Um grande beijo em seu coração!!!

Adelaide Araçai disse...

Obrigada por partilhar conosco a história de Yvone Pereira, confesso que embora leia bastante as obras espiritas desconhecia os livros dela. Vou busca-los.
Abraços

Gislene disse...

Essa mulher foi uma grande médium.

Um beijo Denise!
Um lindo domingo para você!

Gislene.