- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -
PODEM NOS TIRAR AS FLORES, MAS NUNCA A PRIMAVERA.

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


domingo, 4 de setembro de 2011

O MUNDO ESPIRITUAL PARA OS ESPÍRITOS INFERIORES II



A situação dos suicidas tem analogia com a dos criminosos; muitas vezes, é ainda pior. O suicídio é uma covardia, um crime cujas conseqüências são terríveis. Segundo a expressão de um espírito, o suicida não foge ao sofrimento senão para encontrar a tortura. Cada um de nós tem deveres, uma missão a cumprir na Terra, provas a suportar para nosso próprio bem e elevação. Procurar subtrair-se, libertar-se dos males terrestres antes do tempo marcado é violar a lei natural, e cada atentado contra essa lei traz para o culpado uma violenta reação. O suicídio não põe termo aos sofrimentos físicos nem morais. O espírito fica ligado a esse corpo carnal que esperava destruir; experimenta, lentamente, todas as fases de sua decomposição; as sensações dolorosas multiplicam-se, em vez de diminuírem. Longe de abreviar sua prova, ele a prolonga indefinidamente; seu mal-estar, sua perturbação persistem por muito tempo depois da destruição do invólucro carnal. Deverá enfrentar novamente as provas às quais supunha poder escapar com a morte e que foram geradas pelo seu passado. Terá de suportá-las em piores condições, refazer, passo a passo, o caminho semeado de obstáculos, e para isso sofrerá uma encarnação mais penosa ainda que aquela à qual pretendeu fugir.
                São espantosas as torturas dos que acabam de ser supliciados, e as descrições que delas nos fazem certo assassinos célebres podem comover os corações mais duros, mostrando à justiça humana os tristes efeitos da pena de morte. A maioria desses infelizes acha-se entregue a uma excitação aguda, a sensações atrozes que os tornam furiosos. O horror de seus crimes, a visão de suas vítimas, que parecem persegui-los e trespassá-los como uma espada, alucinações e sonhos horrendos, tal é a sorte que os aguarda.
                Muitos, buscando um derivativo a seus males, lançam-se aos encarnados de tendências semelhantes e os impelem ao crime. Outros, devorados pelo fogo inextinguível dos remorsos, procuram, sem tréguas, um refúgio que não podem encontrar. Sob seus passos, ao seu redor, por toda parte, eles julgam ver cadáveres, figuras ameaçadoras e lagos de sangue.
                Os espíritos maus sobre os quais recai o peso acabrunhador de suas faltas não podem prever o futuro; nada sabem das leis superiores. Os fluidos que os envolvem privam-nos de toda relação com os espíritos elevados que queiram arrancá-los à suas inclinações, pois isso lhes é difícil por causa de sua natureza grosseira, quase material, e do limitado campo de suas percepções; resulta daí uma ignorância completa da própria sorte e uma tendência para acreditarem que são eternos os seus sofrimentos. Alguns, imbuídos ainda de prejuízos católicos, supõem e dizem viver no inferno. Devorados pela inveja e pelo ódio, muitos, a fim de se distraírem de suas aflições, procuram os homens fracos e inclinados ao mal. Apegam-se a eles e insuflam-lhes funestas aspirações. Destes excessos, porém, advém-lhes, pouco a pouco, novos sofrimentos. A reação do mal causado prende-os numa rede de fluidos mais sombrios. As trevas se fazem mais completas; um círculo estreito forma-se e à sua frente levanta-se o dilema da reencarnação penosa, dolorosa.
                Mais calmos são aqueles a quem o arrependimento tocou e que, resignados, vêem chegar o tempo das provas ou estão resolvidos a satisfazer a eterna justiça. O remorso, como uma pálida claridade, esclarece vagamente sua alma, permite que os bons espíritos falem ao seu entendimento, animando-os e aconselhando-os.

Do livro: Depois da Morte- Léon Denis

Glitter Symbols - ImageChef.com

2 comentários:

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Ótimo post
Nas cartas consoladoras do Smespe de 2010, tivemos uma em que uma filha em um ato de desespero por conta de uma depressão profunda cometeu tal ato, mas que com as preces de familiares e amigos e por seu profundo sentimento de arrependimento já se encontra em estado de recuperação.São lições para ñ nos esqucermos nunca dos compromissos que abraçamos em nossa joranda evolutiva....da vida para progredirmos, sempre!!
Bjs♥Paz e ótima semana!!

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Denise querida,

Excelente texto, muito esclarecedor.... descrevendo de forma muito forte e real todo sofrimento destes espíritos que acabam praticando um ato terrível contra sí mesmos.
Devemos sempre pedir muito por eles, pois independente do grau de sua inferioridade, não podemos esquecer que ainda são irmãos que estão travando grandes, profundas e dolorosas guerras morais internas, mas, NADA é impossível quando existe uma pequena Luz em seus corações.....e o poder das Orações de seus entes queridos ou qualquer irmão, são poderosos laços de aproximação dos Seres de Luz para irem ao seu auxílio.

Um grande beijo em seu coração!!!